Saúde mental e Carnaval: saiba como manter a mente sã durante o feriado

As festividades do Carnaval ajudam a desestressar, mas, em alguns casos, também podem promover quadros de ansiedade. Saiba como cuidar da sua saúde mental durante a época mais frenética do ano.

O feriado de Carnaval é bom por diversas razões: o comércio ganha, os foliões passam dias dançando e, quem está estressado e quer descansar, pode aproveitar a data para dormir suficientemente.

Como se pode ver, as opções são múltiplas: cada um vivencia o Carnaval como prefere. No entanto, independentemente qual seja a programação escolhida, não se deve ignorar a saúde mental. Durante a data, as pessoas estão mais expostas a barulho, frenesi e multidões.

Tais circunstâncias, embora muito aprazíveis para determinadas pessoas, podem ser o estopim para quadros de ansiedade, situações de pânico e, em casos extremos, até psicose.

O que fazer para curtir com moderação, respeitando as limitações do corpo, os avisos do seu organismo e o bem-estar da mente? Qual é o momento de parar ou de entender que talvez seja melhor ficar em casa?

Neste artigo, discutiremos algumas possibilidades para quem deseja ter um feriado inesquecível, salubre e agradável. Confira!

Como curtir sem engatilhar crises de ansiedade?

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) , o Brasil é o país onde há o maior número de ansiosos. Na América Latina, também é campeão em diagnósticos de depressão.

O que faz com que estejamos coletivamente doentes? Existem diversas explicações, entre elas, o aumento das cobranças no ambiente de trabalho, as modificações nas estruturas familiares, o desemprego e o excesso de estímulo e informação atuam de maneira a deixar o nosso cérebro exausto e infeliz.

Quando não é corretamente tratado, o transtorno de ansiedade pode se tornar mais violento. Em casos do gênero, o paciente pode ter dificuldade de trabalhar, se relacionar com família, amigos ou cônjuge e até mesmo desejar sair de casa.

A curto e longo prazo, os efeitos na autoestima, assim como na vida profissional e pessoal, são significativos. Não por acaso, pessoas ansiosas também podem ser clinicamente deprimidas.

Durante o Carnaval, é recomendado às pessoas que estão em tratamento do transtorno de ansiedade que evitem grandes aglomerações: se houver algum problema, pode ser mais difícil pedir ajuda ou sair do meio da multidão.

A melhor opção, caso haja predileção por blocos de Carnaval ou festas, é escolher eventos de menor porte: trios elétricos menos concorridos e em horários que as pessoas não costumam frequentar podem agradar.

Caso opte por participar de alguma festividade de maior porte, saia das aglomerações, quem fica lá no final do trio também consegue ouvir as músicas e dançar, lembre-se disso.

Consumo de álcool: é preciso ir devagar

O álcool é uma substância desaconselhada para pessoas que possuem alguma perturbação de ordem mental, como transtornos de humor ou ansiedade.

Isso acontece porque o álcool faz com que fiquemos mais “soltos”, mas também atua no cérebro: pessoas que bebem muito têm maior propensão a desenvolver quadros de depressão profunda.

Assim, o conselho é não abusar. Para garantir a tranquilidade durante as festas, vale beber um copo de água a cada copo de bebida, evitar misturar drinks, e, se perceber que algo não vai bem, interromper imediatamente o consumo.

Se não quiser ou puder brincar na rua, escolha outro programa

Ficar em casa só é uma boa escolha se você estiver acompanhado de amigos e família; do contrário, a sensação de solidão e não-pertencimento pode agravar a sua angústia e interferir na sua saúde mental.

A melhor opção para quem não está disposto ou não se sente apto a participar das festas é ir para algum lugar mais silencioso, em meio à natureza, ou que possibilite sossego, reconexão consigo mesmo e diminuição da frequência cotidiana.

Para os espiritualistas, existem retiros de Carnaval que promovem dias de atividade física, comidas detox e exercícios de relaxamento e meditação. Se essa for a sua praia, vale a pena tentar.

Instagram