Número de pedidos de empréstimo cresceu 115% em agosto deste ano, aponta Índice FinanZero de Empréstimo

Comparativo com agosto do ano passado demonstra que a crise econômica causada pela pandemia, deixando mais de 14 milhões de desempregados, ainda reflete na vida dos brasileiros

Apesar da retomada econômica do país estar acontecendo gradativamente, os reflexos da crise causada pela pandemia de COVID-19 ainda se fazem presentes na vida e na rotina de muitos brasileiros, como o desemprego, por exemplo, que recuou para 14,1% no início do segundo semestre deste ano, mas ainda atinge 14,4 milhões de brasileiros, segundo dados recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Diante deste cenário, os brasileiros estão indo atrás de empréstimos para normalizar dívidas e manter as contas no azul. O Índice FinanZero de Empréstimo (IFE), relatório mensal produzido pela fintech de empréstimos online FinanZero, mostra que, em agosto deste ano ante ao mesmo período de 2020, o número de pedidos de empréstimo cresceu 115,41%,  subindo de 100 pontos para 215 pontos (base agosto/2020=100).

Fonte: Base de usuários da FinanZero. Base: Agosto/20=100

Além das solicitações de crédito terem aumentado, as buscas por empréstimos na internet também cresceram (47%) em agosto deste ano, em comparação com agosto de 2020, acumulando uma alta de 26% em 2021 ante o ano anterior. 

(Fonte: FinanZero com dados de Google)

Sobe o número de solicitações de empréstimo para aposentados e viúvos

O levantamento também aponta que o número de pedidos de empréstimos solicitados por aposentados e viúvos cresceu 20% em agosto de 2021, em comparação com julho do mesmo ano. Em relação aos pedidos de crédito realizados por aposentados, que saltou de 147 pontos para 176 pontos de um mês para o outro, entende-se que há uma preocupação com a previdência privada.

De acordo com relatório Global do Sistema Previdenciário 2020, divulgado pela Allianz, que avaliou a estrutura previdenciária de 70 países, cerca de 90% dos brasileiros com mais de 25 anos não poupam dinheiro pensando na aposentadoria. “Esse número, atrelado ao estudo da FinanZero, demonstra que a falta de preparo e ausência de informações sobre aposentadoria reflete no futuro das pessoas, pois muitos recebem apenas um salário-mínimo por mês e se deparam com o dilema de não conseguir pagar as despesas básicas neste período, recorrendo, assim, aos empréstimos”, explica Cadu Guidi, sócio-diretor de marketing da FinanZero. 

Já os pedidos de empréstimos para viúvos cresceram de 167 pontos para 201 pontos de julho a agosto deste ano, acompanhando também dados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), que mostra que o número de pensões por morte concedidas no Brasil cresceu 47,3% desde o início da pandemia. Em março do ano passado, 27.387 benefícios deste tipo foram liberados no país. Enquanto março deste ano o número saltou para 40.339. 

(Fonte: Base de usuários da FinanZero)

Foto:istock

Instagram