Como a tecnologia pode ajudar no combate a incêndios?

Cientistas norte-americanos desenvolveram um gel capaz de controlar e prevenir incêndios florestais em áreas de risco

A tecnologia, nos últimos anos, vem inovando e resolvendo problemas de diversos setores da sociedade. E essas saídas tecnológicas, que vêm dando o que falar como tendência do futuro, podem, inclusive, ajudar no combate a incêndios florestais.

Diversas inovações vêm sendo desenvolvidas para controlar as queimadas que devastam tanto a fauna como a flora de diversas regiões do mundo.

Alguns fatores contribuem diretamente para o aparecimento dos incêndios florestais, como o clima seco, o intenso desmatamento e a falta de fiscalização dos governos. E, diante disso, novas tecnologias permitem controlar as chamas mais rapidamente, evitando danos maiores ao meio ambiente.

Uma delas é a utilização de um gel criado por cientistas norte-americanos, feito com produtos naturais que impedem a expansão das chamas em focos de incêndio. A criação pode mudar o atual cenário da queimadas, uma vez que as técnicas tradicionais utilizadas, muitas vezes, não são suficientes.

Como funciona o gel para prevenir os incêndios florestais?

Desenvolvido à base de celulose, o gel funciona para deixar as florestas mais resistentes ao fogo, evitando o alastramento das chamas. Ele é composto de partículas de celulose, sílica e um componente capaz de retardar o efeito das chamas.

De acordo com os cientistas, o produto já demonstrou um alto nível de resistência por meio de diversos testes realizados, feitos com grama e camurça. Dessa forma, foi considerado uma alternativa muito eficaz para controlar incêndios florestais que afetam alguns países.

Mesmo com chuvas, o gel promete manter sua eficiência e continuar protegendo o meio ambiente com apenas uma aplicação, levando meses para que precise ser aplicado novamente em determinado local.

O gel agride o meio ambiente?

Por ser feito com componentes da própria natureza, os cientistas afirmam que, por não possuir material tóxico em sua composição, o produto não é capaz de prejudicar os locais em que for aplicado.

O produto pode ser aplicado por equipamentos de pulverização utilizados em áreas agrícolas, e também por aeronaves, o que facilita muito sua disseminação.

Essa é uma alternativa bem relevante, e quando colocada realmente em prática, fará muito diferença no combate às queimadas florestais, podendo ser utilizada tanto em momentos emergenciais quanto como medida preventiva.

A utilização dessa tecnologia começará a entrar em vigor em locais que possuem maior risco de desenvolvimento de incêndios, como nas beiras de estradas.  Contudo, a intenção é utilizar o gel em todas as áreas de risco.

Atualmente, já existem produtos similares para evitar incêndios, mas essa opção de gel promete ser mais barata e com uma maior taxa de eficácia, se comparada aos esses itens já utilizados.

Com as drásticas mudanças climáticas acontecendo, os incêndios florestais podem se tornar cada vez mais comuns, e ter algo que impeça que as florestas sejam devastadas é importante tanto para a vida humana quanto para a natureza.

A tecnologia que possibilitou o desenvolvimento do gel é de fundamental relevância, mas não será capaz de extinguir esse tipo de acontecimento sem a colaboração de outros setores da sociedade.

Imagem de David Mark por Pixabay