63% das empresas de prestação de serviços precisam se adequar à LGPD

Apesar de já estar em vigor, somente 37,54% dos negócios de prestação de serviços estão em conformidade com as exigências da nova lei

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) nasceu com o propósito nacional de assegurar a privacidade e proteção dos dados pessoais. Contudo, embora já esteja em vigor, somente 37,54% dos negócios de prestação de serviços estão em conformidade com as exigências da nova lei.

Os dados do Índice LGPD Abes, ferramenta desenvolvida pela Associação Brasileira das Empresas de Software, em parceria com a EY, permite o diagnóstico de empresas em relação à sua adequação à nova lei. A pesquisa revela, ainda, que o segmento está distante da conformidade, já que 75,9% realizam a coleta dos dados sigilosos e 26,9% já sofreram incidente de violação nos últimos 2 anos.

No entanto, não é apenas o setor de serviços que precisa correr para se adequar à LGPD. No cenário geral, apenas 39,45% dos requisitos da nova Lei são atendidos. Claramente, estar em conformidade com a LGPD é um desafio de todas as áreas de uma empresa: RH, vendas, marketing, financeiro, administrativo, e principalmente o jurídico e TI, que precisam assegurar a existência de processos claros para prevenir o uso inadequado de dados, evitar vazamentos de informações e ataques de hackers.

Por dentro da LGPD

A Lei Geral de Proteção de Dados – lei 13.709/18 –, conhecida como LGPD, tinha data prevista para entrar em vigor em fevereiro de 2020. Diante da pandemia de Covid-19, no entanto, a mesma foi adiada e uma nova discussão tem sido tomada para determinar um novo prazo, possivelmente, maio de 2021.

A LGPD tem embasamento na Agência Nacional de Proteção de Dados (ANPD), órgão do governo responsável por fiscalizar as instituições quanto à implementação de medidas de proteção de dados, e aplicação das sanções previstas na lei nos casos que envolvam vazamento. Com a intenção de ampliar o total de empresas preparadas para a LGPD, o Abes Academy, vai ministrar curso online sobre o tema.

Foto: Divulgação

Instagram