Vitamina D e zinco ajudam a fortalecer a imunidade

Saiba em quais alimentos estão presentes e quais benefícios oferecem para a saúde

Durante a pandemia do novo coronavírus, a discussão sobre saúde, imunidade e o uso de vitaminas e minerais para fortalecer o organismo contra eventuais doenças aumentou. A vitamina D e o zinco foram alguns dos mais comentados. Você sabe qual é a função de cada um e onde podem ser encontrados?

A vitamina D está diretamente ligada à saúde do sistema musculoesquelético, prevenindo doenças como artrite, artrose, osteoporose e raquitismo, por exemplo, além de desempenhar papel importante no sistema imunológico. Os linfócitos – células de defesa do nosso corpo – têm receptores para vitamina D que atuam no fortalecimento do sistema de defesa contra doenças e processos infecciosos. 

A falta dessa vitamina no organismo pode favorecer o aparecimento de problemas como obesidade, queda de cabelo, enfraquecimento de unhas, problemas musculares e ósseos, diabetes, síndrome metabólica, fadiga e mal-estar. O consumo da vitamina D pode ser feito através da ingestão de alimentos naturais, como salmão, atum, sardinha, ovo, leite, fígado, queijos, cogumelos e por meio de suplementos vitamínicos.

Apesar dos inúmeros benefícios, não há nenhuma relação direta entre o consumo de vitamina D e a prevenção ou a cura da Covid-19. “Sobre a questão das vitaminas, não acredito que exista evidência específica de que as vitaminas previnam ou possam tratar a Covid-19. No entanto, existem muitas coisas que podemos fazer para manter nosso corpo saudável e permitir que lidemos com qualquer doença infecciosa de maneira mais eficaz, de modo que uma dieta saudável e, às vezes, suplementar essas dietas com vitaminas apropriadas seja uma maneira muito positiva de se manter saudável”, aponta Mike Ryan, diretor executivo do Programa de Emergências em Saúde da Organização Mundial da Saúde (OMS). 

Já os minerais, como o zinco, também contribuem para o bom funcionamento do corpo humano. Conhecido, principalmente, por sua capacidade antioxidante, o zinco previne o envelhecimento precoce das células e combate os radicais livres, protege o corpo contra eventuais enfermidades e reforça as defesas do organismo. Deve ser consumido diariamente através de alimentos como carne vermelha e de aves, cereais, mariscos, lacticínios e ovos ou por suplementação, pois o organismo não conta com reservas dessa substância. 

A escassez deste mineral está relacionada ao enfraquecimento do sistema imunológico, doenças gastrointestinais, alterações no paladar, infertilidade, diarreia crônica, problemas de cicatrização, distúrbios de crescimento e neurológicos.

Vale ressaltar que, apesar de todos os benefícios e a necessidade de consumir esses nutrientes, a ingestão indevida, exagerada e indiscriminada de vitaminas e minerais também pode levar a problemas como alergias, lesões em órgãos internos, alteração na frequência cardíaca e intoxicação. Por isso, a recomendação é sempre procurar um médico e um nutricionista para prescrever a suplementação ideal, de acordo com sua necessidade e com base na sua dieta alimentar.

Foto: Divulgação

Instagram