O que analisar antes de abrir uma loja física?

Estratégia deve ser planejada com cautela para evitar despesas maiores que o orçamento inicial

Empreender faz parte dos sonhos de uma parcela da população brasileira, especialmente quando os momentos de crise chegam. De acordo com estimativas da pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), realizada anualmente, em 2020, o número de empreendimentos iniciais – quando uma empresa possui menos de 3,5 anos de existência  – deve atingir o maior patamar dos últimos 20 anos.

“Com um dos resultados da pandemia do novo coronavírus, acreditamos que neste ano de 2020 o grupo dos empreendedores iniciais cresça e atinja o novo recorde histórico, com uma proporção de 25% do total da população adulta. Este número, segundo nossa projeção, será puxado pelas mulheres, pelas pessoas negras, em geral, os grupos que mais costumam ser afetados pelo crescimento do desemprego”, comenta o presidente do Sebrae, Carlos Melles.

Por conta da alta demanda de novos negócios e a imprevisibilidade de retomada integral das atividades presenciais em algumas cidades brasileiras, parte da população optou pela abertura do e-commerce. Em agosto, o país atingiu o número de 1,3 milhão negócios registrados, segundo a 6ª edição do levantamento “Perfil do E-Commerce Brasileiro”, feita pela PayPal, em parceria com a BigData Corp.

Apesar disso, já há meios de voltar às lojas físicas por conta da diminuição de casos. Contudo, as problemáticas seguem as mesmas, com o acréscimo das questões de assepsia. Veja abaixo quais pontos devem ser analisados antes da abertura de uma loja. 

Planejamento

Para que um negócio saia do papel, é preciso, antes de tudo, focar no planejamento, para que a execução não seja custosa demais ao ponto de levar os empreendedores à falência. 

Por conta disso, nesta etapa, é importante delimitar um segmento de negócio – responda à pergunta: “o que você vai vender?” –, seu público-alvo – “para quem irá vender?” – e os meios para atrair essas pessoas para o estabelecimento – “quais estratégias de publicidade irá adotar?” –, pois assim ficará mais simples de saber quais serão seus atributos e mercadorias para definir um nome, slogan e identidade visual.

Os canais de atendimento e resolução de dúvidas disponibilizados para os consumidores também devem ser pensados e disponibilizados juntamente à inauguração do negócio.

As etapas burocráticas são essenciais. Ter um CNPJ é requisito para a abertura da loja, sem contar que pode dar mais confiança aos consumidores, que comprarão sem medo.

Localização

Este é um dos pontos mais importantes no momento de tirar uma loja do papel. Neste tipo de negócio, existe a pretensão de vender muitos produtos. Sendo assim, é essencial estar em um local onde uma quantidade adequada de pessoas passa por dia. Para isso, entenda o histórico do bairro, já que locais menos conhecidos ou mal vistos tendem a ser menos visitados.

Ao pensar na localização, a segurança da loja também deve ser planejada. Para isso, é possível inserir câmeras externas e internas, espelhos em pontos estratégicos e uma porta de aço de enrolar, para manter a integridade do local, tanto aberto, quanto fechado.

Divulgação

Ainda que o estabelecimento esteja em um ambiente presencial, as divulgações são essenciais para atingir o público-alvo que espontaneamente não passaria pelo local. Assim, as formas de divulgação de coleções e produtos mais naturais são as redes sociais, principalmente Facebook, Instagram e WhatsApp. Elas devem ser consideradas. Também é possível optar por campanhas pagas em algumas delas ou até mesmo no Google. 

Foto: Divulgação

Instagram