Exagerar nas comidas calóricas não faz tão mal à dieta, aponta pesquisa

De acordo com estudo, consumir grandes quantidades de alimentos calóricos em um dia não fará com que o corpo ganhe peso ou acumule gordura

Sabe quando a dieta está indo bem e, de repente, em um dia ou outro, surge a vontade de comer várias coisas que são, em sua maioria, hipercalóricas? Normalmente, na manhã seguinte, há culpa pela transgressão no cardápio já delimitado da dieta. Porém esses alimentos podem não dificultar tanto o emagrecimento quanto se imagina.

Um estudo realizado por cientistas da Universidade de Bath (Inglaterra) e publicado no periódico British Journal of Nutrition apontou que a ingestão de quantidades excessivas de alimentos calóricos em um dia não provoca danos às dietas em andamento. Acontece que o metabolismo é capaz de lidar com a indulgência calórica, que acontece quando alimentos calóricos são excessivamente consumidos.

Para chegar ao resultado, os pesquisadores compararam os efeitos de uma alimentação normal – quando a pessoa não está cheia, mas saciada – com uma excessiva – momento em que a pessoa ingeriu quantidades maiores do que o necessário e está totalmente cheia, sem aguentar mais comer.

Com isso, eles descobriram que os homens jovens – entre 22 e 37 anos – e saudáveis conseguiam consumir quase o dobro de pizza quando ultrapassaram seus limites habituais e forçaram para comer mais. Apesar de terem multiplicado as calorias no organismo, eles conseguiram manter as quantidades de nutrientes delimitadas na dieta. Os índices glicêmicos não foram afetados pelo consumo maior e a quantidade de insulina no sangue foi apenas 50% maior do que o normal. 

Desta forma, se uma pessoa saudável exagerar uma vez ou outra ocasionalmente, não há perdas em relação à dieta adotada, já que o organismo é capaz de neutralizar esse fato. Também não haverá negativas imediatas na perda do controle metabólico. Entretanto, se os excessos forem constantes, há riscos do desenvolvimento de doenças.

“Todos conhecemos os riscos a longo prazo de excesso de indulgência com alimentos quando se trata de obesidade, diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares, mas sabemos muito menos sobre alguns dos efeitos imediatos ‘tudo o que você pode comer’ sobre o corpo”, disse Aaron Hengist , um dos autores do estudo.

Tudo dependerá da quantidade consumida e de variáveis como a idade e o período de tempo em que a ingestão ocorreu. Na versão clínica, a média de consumo foi superior a 3.000 kcal, aproximadamente uma ou metade de uma pizza grande. Contudo, a quantidade varia de pessoa para pessoa. Alguns voluntários declararam que conseguiam, inclusive, comer até duas pizzas grandes de uma vez só.

Outro ponto percebido pelos cientistas foi que, mesmo após mais de quatro horas sem comer, os participantes não desejavam ingerir nada, nem mesmo doces. 

Foto:Divulgação

Instagram