Comprar imóveis na planta vale a pena?

Muita gente sonha em ter um imóvel próprio, mas fica na dúvida na hora de escolher entre um que esteja na planta ou um já construído.

Comprar um imóvel é um dos investimentos mais custosos e duradouros que uma pessoa pode fazer durante a vida. Além de um ótimo planejamento financeiro, esse processo exige uma pesquisa minuciosa sobre as condições de financiamento, confiabilidade da construtora e/ou imobiliária, entre outros fatores.

A primeira questão que surge na hora de comprar um imóvel é: vale a pena comprar um que ainda esteja na planta? Como qualquer outro processo imobiliário, esse tipo de imóvel oferece vantagens e riscos que devem ser avaliados com calma antes da decisão final.

Por isso, se você também sonha em ter uma casa própria e está procurando informações sobre isso, confira alguns fatores para considerar antes de fechar o negócio.

Vantagens

Um dos benefícios mais conhecidos de comprar uma casa ou apartamento na planta é que esse tipo de imóvel exige um valor menor de entrada, o que é importante, sobretudo, para quem está com um orçamento mais apertado.

Outra vantagem é a possibilidade de o imóvel sofrer valorização, o que o torna um investimento ainda melhor com o passar dos anos. Essa valorização pode ser de até 50% em relação ao preço pago originalmente.

Desistência

Comprar imóveis na planta significa que você vai assumir parte dos custos do empreendimento com a construtora responsável pela obra. Ter isso bem claro é fundamental, pois a relação com essa empresa pode trazer consequências boas e ruins durante todo o processo. Entre esses custos que são divididos com a construtora, podem-se citar o material de divulgação do empreendimento, maquetes, equipes e estandes de vendas, entre outros.

O principal risco de comprar um imóvel na planta é a incorporadora desistir do investimento mesmo após o contrato ter sido assinado. Isso pode ocorrer se houver pouca procura por aquele empreendimento ou se ele não atingir a valorização desejada pela empresa. Embora esse direito da administradora seja garantido por lei (nº 4.591 de 16 de dezembro de 1964), a construtora pode desistir do empreendimento em um prazo máximo de 180 dias.

Atrasos

Outro risco é o de atraso na entrega da obra. A legislação brasileira garante que a empresa pode atrasar até 180 dias a partir da data estipulada para a entrega em contato, sem necessidade de indenizar o comprador.

Se a construtora em questão desistir de concluir o empreendimento, o comprador possui garantias de ser ressarcido. Contudo, a solução desse problema pode demorar anos. Por isso, estude bem esses riscos, pois mesmo havendo garantias no contrato, o retorno do dinheiro investido em caso de desistência da construtora pode não ser rápido.

Outros aspectos

Ainda existem outros fatores relevantes para serem analisados. Um deles é o INCC (Índice Nacional de Custo de Construção), que aponta a correção do contrato de compra de um imóvel que incide sobre o valor do apartamento de acordo com a  valorização do imóvel.

O INCC pode aumentar os custos da sua compra, pois considera inúmeros aspectos como: o valor da mão-de-obra e os custos dos materiais de construção. Pode, ainda, reincidir sobre todo o saldo devedor relacionado ao imóvel (como o valor que resta da dívida a ser paga).

Outro aspecto fundamental é conhecer a construtora e pesquisar sobre sua confiabilidade no mercado imobiliário. Uma maneira simples de verificar isso é levantar informações sobre empreendimentos anteriores realizados por ela. Se possível, procure corretores e pessoas que já trabalharam com a empresa e veja as dores de cabeça que eles podem ter passado ao longo do processo.

Na hora de comprar o imóvel na planta, não analise somente as parcelas iniciais, mas levante todos os índices e taxas que podem elevar o custo final total. Outra dica é visitar a obra durante o período de construção para verificar se o que foi combinado no contrato está sendo seguido. Se notar a falta de algo, contacte a administradora para verificar as razões.

Instagram