Como a psicologia pode ser uma aliada para os alunos do ensino médio

A psicoterapia pode ajudar os estudantes a enfrentar a fase da adolescência e escolher a profissão de maneira mais leve

A adolescência costuma ser uma das etapas mais importantes para a formação dos indivíduos. Durante esse período, os jovens começam a desenvolver a sua identidade ao buscar referências e começar a compreender os seus valores, vontades e se deparar com questionamentos sobre o futuro que até então eram totalmente desconhecidos. 

Além dos devaneios, das descobertas e alegrias naturais que existem na fase adolescente, ao construir as suas personalidades e se deparar com tantas mudanças e escolhas, também estão enfrentando os desafios do ensino médio. 

A cobrança e a responsabilidade nos estudos passa a ser maior, pois estão sendo preparados para os vestibulares, criam e fortalecem laços de amizade, desenvolvem novas ideias e posicionamentos e lidam com um turbilhão de emoções que nem sempre são fáceis. 

De acordo com estudo do SEB (Sistema Educacional Brasileiro), é nesta etapa que os amigos conquistam mais espaço e passam a interferir mais do que a família nas tomadas de decisões e em momentos de fragilidade, além de ser um período marcado por ações contraditórias, confrontamento, preocupações e sentimentos como ansiedade. 

Para algumas pessoas, os receios e as dúvidas sobre vestibulares, carreira, faculdade e os desafios da fase adulta podem ultrapassar o nível de normalidade e interferir de forma negativa no rendimento e no desenvolvimento. 

Neste cenário, quando a situação foge do controle do adolescente e os pais não conseguem ajudar de forma totalmente eficiente, a recomendação é contar com o acompanhamento de um psicólogo ou terapeuta. Por meio da psicoterapia e de diferentes abordagens, esses profissionais ajudam os jovens a entender melhor as suas preocupações e os direcionam para buscar as soluções dos seus anseios, para que não se tornem traumas. 

Os psicólogos servem como uma rede de apoio e incentivo para aliviar angústias que podem interferir nas tomadas de decisões e no emocional, através de metodologias como teste vocacional e exercícios de autoconhecimento, que promovem a reflexão mais ampla e clara sobre qual carreira seguir e outras preocupações sobre o futuro, por exemplo.

A ajuda profissional pode ser ainda mais importante durante este período de isolamento social, pois não saber quando tudo voltará à normalidade, o adiamento de processos seletivos e, em alguns casos, a difícil adaptação com as aulas à distância pode intensificar sentimentos negativos, baixa produtividade e desânimo. 

Para enfrentar esta situação e preservar a saúde física e mental, a recomendação é buscar por acolhimento e atendimento online. Assim, os pacientes podem agendar as consultas virtuais de acordo com a sua disponibilidade e necessidade e conseguem lidar com o momento de crise com mais segurança.

Foto:Divulgação

Instagram