Com taxa de abertura de até 98%, SMS marketing traz vantagens para empresas que desejam marcar presença no mobile

Brasil tem 230 milhões de celulares inteligentes registrados

O levantamento realizado pela Frost & Sullivan, empresa de consultoria de negócios, mostra que a taxa de abertura de SMS recebidos no smartphone é de 98%, com índice de resposta de 26%. Na modalidade e-mail, apenas 22% são abertos e 5% respondidos. Desta forma, o estudo comprova que o envio de mensagens curtas é mais eficaz do que o contrário.

Em outra pesquisa, feita pela Nielsen e de abrangência internacional, 85% dos brasileiros cita o SMS como uma das atividades executadas nos últimos 30 dias, diante de 66% do acesso ao e-mail. O estudo ouviu 1.603 entrevistados, com idades entre 16 e 64 anos, que são usuários de smartphones, moradores do Brasil, Estados Unidos, China, Austrália, Rússia, Turquia, entre outros. 

Sendo assim,SMS marketingé uma alternativa de comunicação direta 100% mensurável. A modalidade garante que as interações cheguem aos consumidores independentemente se ele tem um celular pré ou pós-pago, com acesso ou não à internet. As mensagens podem ser personalizadas para campanhas segmentadas de forma fácil, eficiente e econômica.

A estratégia é abrangente de acordo com o número de aparelhos celulares registrados no Brasil: 230 milhões. Esse dado vem da 30ª Pesquisa Anual de Administração e Uso de Tecnologia da Informação nas Empresas, realizada pela Fundação Getúlio Vargas, de São Paulo (FGV-SP). Esse número representa um aumento de 10 milhões de smartphones em relação a 2018.

Desta forma, o Brasil já tem mais de um celular por habitante desde 2018. Com aparelhos cada vez mais potentes, os smartphones têm se destacado, já que o número de computadores, notebooks e tablets é de 180 milhões e são seis dispositivos para cada sete habitantes. Com isso, empresas de comunicação e marketing digital precisam reinventar os conteúdos para atingir o público no mobile com campanhas estruturadas com o mapeamento dos perfis do público-alvo e as escolhas corretas de abordagens textuais. 

Estagnação do mercado

Como já há mais de um aparelho por habitante, as compras de smartphone devem ocorrer com mais lentidão, segundo o professor Fernando Meirelles, responsável pela pesquisa da FGV. Devido à saturação do mercado, o número de novos smartphones não deve passar de 240 milhões nos próximos anos. “A venda de aparelhos deve diminuir; o que deve acontecer é a reposição dos dispositivos”, afirma ele. “Foi a mesma coisa que aconteceu com a televisão; hoje, o brasileiro já tem sua TV em casa”, completa. 

Foto: iStock