Prática de natação está associada à melhora da memória e da saúde mental

Estudos apontam que esporte tem impacto positivo na atividade cerebral e traz benefícios variados

A realização de atividade física e a prática de esportes traz inúmeros benefícios para o corpo humano. A natação, por exemplo, é conhecida por seus efeitos positivos no sistema cardiovascular. Porém, recentemente, diversos estudos procuram investigar outros benefícios do esporte. Dentre os resultados encontrados, estão a melhoria de capacidade cognitiva como memória e saúde mental.

Por se tratar de um esporte que trabalha grupos musculares de todo o corpo, durante a prática da natação, a circulação de sangue é ativada de maneira intensa, estimulando a formação de novos vasos sanguíneos. Consequentemente, o maior fluxo sanguíneo ajuda na liberação de endorfina após a realização da atividade física, que é um hormônio responsável por provocar sensação de euforia e bem-estar, além de aliviar dores. Contudo, os benefícios não se resumem à circulação de sangue.

De acordo com o projeto da University of Nebraska, Exercise for Mental Health (Exercício para Saúde Mental), a prática de exercícios aeróbicos, incluindo a natação, reduz a ansiedade e a depressão. Acredita-se que a melhoria na saúde mental acontece porque o aumento da circulação, provocado pela atividade física, proporciona um melhor bombeamento de sangue no cérebro, causando uma reação no eixo hipotálamo-pituitária-adrenal. Essa região é responsável pela resposta ao estresse e também faz ligação com outras partes do cérebro que controlam humor, motivação e memória. 

Segundo outro estudo, financiado pela Jordan University of Science and Technology, nadar frequentemente provoca melhora da memória. A publicação Swimming exercise improves short and long-term memories: Time-course changes (O exercício de natação melhora as memórias de curto e longo prazo: mudanças no curso do tempo), de junho de 2021, propôs-se a investigar os resultados da natação na memória e encontrou aspectos positivos na atividade cerebral. 

O projeto trabalhou com ratos em laboratório para estudar os impactos da natação na memória dos indivíduos. Os ratos foram treinados para nadar por 60 minutos, durante cinco dias da semana, e foram apresentados a um labirinto de água radial de seis braços. O teste consistia em observar os indivíduos nadarem pelo desafio, e, com o acompanhamento ao longo do tempo – os testes foram realizados em 7, 14 e 28 dias após o início do treinamento de natação –, os pesquisadores notaram melhoras na memória de curto e longo prazo, a partir da redução de erros cometidos pelos indivíduos. Ao final da publicação, os cientistas sugerem que o estudo pode incentivar a investigação do uso da natação para tratamento de memória em casos de distúrbios neurológicos.

Pesquisadores de diversas áreas estudam diariamente os impactos da atividade física no organismo, como a melhora da memória e de funções cognitivas, assim como a redução de ansiedade e depressão. No entanto, para praticar esportes de forma segura, é recomendada a supervisão de uma pessoa formada em uma faculdade de educação física, por exemplo. Os profissionais da área são qualificados e orientados da maneira correta a realizar atividades físicas, o que é imprescindível para a maximização de ganhos e para evitar lesões.

Foto:istock

Instagram