Dr. Marco Aurélio Silvério Neves realiza operações ortopédicas de ponta pelo SUS em São José dos Campos

O ortopedista é referência nacional na aplicação da técnica AMIS, uma cirurgia de colocação de prótese de quadril minimamente invasiva e que garante uma recuperação muito mais rápida para o paciente. A técnica, que consiste em acessar a área de colocação da prótese pela área posterior, afeta minimamente a musculatura. Muitos pacientes conseguem caminhar e recebem alta no mesmo dia da cirurgia.

O Dr. Marco Aurélio realizou atendimentos nessa semana para pacientes do SUS, no Hospital Regional de São José dos Campos, onde receberá no dia 18/10 um grupo de médicos das cidades de Natal e Porto Alegre para treinamento.

Conheça a Técnica AMIS para cirurgia de quadril

Um pesadelo constante na vida de pessoas mais velhas, mas que também atinge alguns jovens e esportistas, são as dores nas principais articulações do corpo, quadris e joelhos que surgem por causa do desgaste chamado artrose. Um incomodo que limita a rotina diária, gera sofrimento, têm causas variáveis e tira o sono do paciente que, mesmo depois de “empurrar o problema com a barriga” durante anos, um dia ouve o prognóstico definitivo de seu médico: é preciso operar.

De acordo com o ortopedista e traumatologista Marco Aurélio Silvério Neves, “o receio do procedimento cirúrgico em articulações tão importantes é compreensível, como em qualquer cirurgia, mas não é mais justificável”, afirma. “A substituição das articulações de quadris e joelhos por próteses vem sendo realizada há muitos anos e, como tudo na medicina, tem evoluído de maneira exponencial”, garante o médico especialista em técnicas minimamente invasivas, como a Via Anterior – AMIS, nos quadris, procedimento que ganhou destaque na série O Hospital. Com 12 episódios que retratam casos reais em diferentes áreas da medicina, o lançamento da TV Record já ganhou uma segunda temporada.

A técnica AMIS é a aplicada pelo Dr. Marco Aurélio que é um dos pioneiros no país e hoje uma referência nacional no procedimento. “O resultado é excelente e o prazo de recuperação surpreende por ser bem mais curto”, garantiu o médico, que relata como um dos exemplos da eficácia dessa prática, a recuperação da bicampeã olímpica de vôlei, Paula Pequeno. A atleta sofria com dores constantes que prejudicavam atividades cotidianas. Ela passou pele cirurgia com o dr. Marco Aurélio no fim de maio e já retomou sua rotina de atividades e exercícios físicos.

Na técnica AMIS, o acesso à articulação é feito pela parte da frente da coxa, separando naturalmente os músculos da região com mínimo ou nenhum corte. Quando se opera pela parte de trás, músculos e outros tecidos moles são cortados para permitir o acesso ao local em que a prótese será instalada. Com a incisão pela via anterior, a visão da articulação é mais limitada, sendo por isso uma técnica mais desafiadora, que exige cirurgiões experientes. “Parte importante da recuperação em cirurgias de próteses articulares é feita pela sustentação que é dada pela musculatura do paciente. Afetar o mínimo essa estrutura é fundamental na rápida recuperação e na retomada da vida normal”, explica o médico.

Para o ortopedista, muitas pessoas adiam o quanto podem a cirurgia, buscando paliativos medicamentosos ou fisioterapia, nem sempre eficazes. “É muita dor e limitação na vida de quem sofre com esse mal. O que mais os nossos pacientes dizem depois da cirurgia é que deveriam ter optado por essa escolha muito tempo antes”.

O prazo médio de recuperação após uma cirurgia de quadril feita com a técnica via anterior – AMIS, minimamente invasiva de fato, já que não corta músculos e respeita a anatomia, vasos e nervos, é de seis semanas. O período de internação é mais curto e uma parte dos pacientes têm alta no mesmo dia.

“A mensagem mais importante a se passar é que essas articulações são fundamentais para a qualidade de vida das pessoas e a prevenção, como tudo relacionado à saúde, é o melhor caminho”, disse. “Mas o resultado obtido com as cirurgias, com taxas de sucesso muito elevadas, pode devolver mobilidade e uma vida normal, sem dores e limitações para os pacientes”, finaliza o especialista.

Segundo a American Academy of Orthopaedic Surgeons, a taxa de complicações depois de uma cirurgia nos quadris é inferior a 2%.

Acompanhe o trabalho do dr. Marco Aurélio no Instagran @drmarcoaurelio.ortopedia e no site drmarcoaurelio.com.br.

Dr. Marco Aurélio Silvério Neves-Foto:Divulgação
Instagram