Segunda avaliação larvária do ano aponta baixo risco de infestação

A segunda ADL (Avaliação de Densidade Larvária) deste ano, realizada em julho pelo Centro de Controle de Zoonoses da Prefeitura, apontou índice larvário de 0,1, que indica baixo risco de infestação do mosquito Aedes aegypti, transmissor das arboviroses, como dengue, chikungunya e zika.

O índice aceitável pelo Ministério da Saúde é de no máximo 1. O resultado da pesquisa de julho mostra queda em relação à última avaliação, feita em janeiro, que apontou Índice Breteau (IB) de 0,7, o menor dos últimos 5 anos no mesmo período avaliado.

A pesquisa foi realizada de 1 a 17 de julho em 18.814 imóveis das 42 áreas urbanas do município. Em cada quarteirão foi trabalhado o número de imóveis necessários para atingir a amostragem sorteada.

Centro de Controle de Zoonoses

Segundo o CCZ, foram trabalhados apenas imóveis residenciais, comerciais e pequenas obras, excluindo imóveis abandonados, desabitados, em demolição, em construção ou à venda, terrenos baldios murados ou não, praças, áreas verdes, pontos estratégicos e imóveis especiais.

Das 42 áreas trabalhadas, todas apresentaram IB abaixo de 1,0, sendo que 22 tiveram resultado 0. Dos mais de 18 mil imóveis vistoriados, apenas 22 tinham recipientes com larvas do mosquito.

Na avaliação da Secretaria de Saúde, o baixo índice larvário é resultado das ações de prevenção realizadas pelas equipes do CCZ e da conscientização da população.

ADL (Avaliação de Densidade Larvária)

Desde o início do ano, a Vigilância Epidemiológica registrou 415 casos de dengue em São José dos Campos, sendo 344 autóctones, 70 importados e 1 aguardando definir o local de infecção.

Das 42 áreas trabalhadas, todas apresentaram IB abaixo de 1,0, sendo que 22 tiveram resultado 0: baixo risco de infestação – Foto: Charles de Moura/PMSJC

Instagram