Ciro Gomes abre ciclo de sabatinas do Desenvolve Vale com presidenciáveis e defende RMVale como exemplo de investimento em tecnologia

Político do PDT é o terceiro colocado na corrida presidencial e um dos principais nomes da chamada terceira via; no encontro, ele criticou as políticas econômicas de Paulo Guedes e defendeu privatizações estratégicas, conforme os interesses de soberania

Terceiro lugar nas pesquisas de intenção de voto, o pré-candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) foi o convidado da primeira edição do ciclo de sabatinas “O Vale em debate: oportunidades e desafios para o futuro”, que acontece em São José dos Campos e é organizado pelo Desenvolve Vale.

O evento pretende trazer todos os principais postulantes ao cargo para um bate-papo sobre políticas voltadas ao desenvolvimento da Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte, a RMVale. 

Ciro Gomes

Nascido em Pindamonhangaba, Ciro afirmou que São José dos Campos é uma vitrine sobre a importância do investimento em Ciência e Tecnologia. Ele citou o engenheiro Ozires Silva, um dos criadores da Embraer e patrono do Desenvolve Vale, como exemplo de empreendedorismo e visão para o país. 

“Temos aqui em São José dos Campos um exemplo claríssimo de como é possível a gente sair desse ciclo de dependência e investir em produtos com alto valor agregado. A Embraer, o ITA e todos estes expoentes de tecnologia e inovação da cidade estão aí como prova. Mas tenho que dizer que quase 40% da turma que aprova no ITA é do Ceará”, afirmou Ciro, que já foi governador do estado, provocando risadas entre os conselheiros.

Principal nome da “terceira via” em uma eleição que tende a ser polarizada entre Lula (PT) e Jair Bolsonaro (sem partido), Ciro afirma que a divisão entre direita e esquerda prejudica os projetos para resolver questões estruturais do país. 

“O mundo está numa frenética corrida para uma tecnologia sofisticada, que proporcione uma agenda desenvolvimentista. Afinal, estamos em uma verdadeira revolução de produtividade. Mas o Brasil nem viu essa corrida começar. Isso por causa da incompetência e culto à ignorância dessa polarização que vivemos há tantos anos”, disse ele. 

Economia

Ciro não poupou o atual governo e a gestão do ministro da Economia, Paulo Guedes, e fez duras críticas sobre a situação atual do país. De acordo com ele, o aumento galopante da inflação de itens essenciais, como a gasolina e o gás de cozinha, é fruto de uma política de preços que não leva em consideração a realidade brasileira. 

“A política de preços e de tributação do governo Bolsonaro está muito distante do que é o Brasil real. Por exemplo, se eu estabeleço que a minha macroeconomia é seguir a inflação como única variável, estou dizendo que outras variáveis, como emprego e lucro, não são importantes. E aí a gente entra nessa espiral absurda, que dificulta a vida do empreendedor e que diminui o poder de compra do trabalhador”, afirmou.

O pré-candidato voltou a defender uma de suas bandeiras mais populares: a de criar uma agenda pública para apoiar as famílias a sair do endividamento. 

“É importante que se crie uma política pública para apoiar a diminuição desse passivo das famílias. Durante os últimos anos, foi estimulada uma corrida ao crédito insustentável. O resultado disso foi um endividamento da população e um número altíssimo de pessoas com o crédito bloqueado por inadimplência. O colapso do crédito das famílias está estagnando o consumo dos brasileiros.”

Ciro ainda criticou o que chamou de “cartel dos bancos”. De acordo com ele, este é o motivo das altas taxas de juros no cheque especial e empréstimos. 

“Onde é que se permite que os juros do cartão de crédito cheguem a 300%? Nos Estados Unidos, por exemplo, há 5.000 instituições financeiras concorrendo pelo cliente. No Brasil, a gente tem cinco. Eles se juntam e estipulam as taxas. Isso é um projeto que foi construído lá atrás, quando os governos anteriores não deixaram que fintechs e outras instituições se instalassem no Brasil e modernizassem o sistema financeiro.”

Privatizações

Questionado a respeito de seu posicionamento sobre as privatizações, Ciro afirmou que se trata de uma ferramenta para um projeto nacional de desenvolvimento, mas que devem ser estabelecidos marcos regulatórios e defendidos os interesses de soberania. 

“A Petrobras, por exemplo, não deve ser privatizada. Todos os grandes conglomerados de petróleo hoje têm um projeto do ‘poço ao posto’, assim como a Petrobras já realiza há anos. É preciso um marco regulatório forte e um governo atento para que a lógica das privatizações não piore e encareça serviços públicos como o de água e esgoto, por exemplo. Veja o exemplo da nossa tarifa de telefonia, uma das mais caras do mundo”, afirmou o presidenciável.

‘Pária internacional’

Ciro ainda fez duras críticas à política internacional do atual governo. De acordo com ele, o país se transformou em um “paria internacional” devido às decisões equivocadas e aos problemas de imagem no cenário mundial. 

“Ninguém nos respeita lá fora porque entendem os absurdos que estão acontecendo no país. Isso não é apenas no plano econômico, mas em todas as questões que invadem o noticiário diariamente. É impossível que a gente tenha uma economia forte com um estado tão desacreditado. Eu nunca vi isso em nenhum país”, disse aos conselheiros. 

Espaço aberto

Para o coordenador do Desenvolve Vale, Kiko Sawaya, o evento corroborou o grupo como um espaço aberto para discussões sobre uma agenda desenvolvimentista, que leve em conta a criação de empregos e o crescimento econômico. 

“Foi um evento muito especial para todos os conselheiros, que tiveram a oportunidade de ouvir e debater com um nome importante do cenário político brasileiro. Nossa série de sabatinas com os presidenciáveis terá esse caráter: colocar as ideias na mesa e debater sobre o que for melhor para o nosso país e nossa região.”

Desenvolve Vale

O Desenvolve Vale é uma plataforma de negócios voltada ao desenvolvimento sustentável da Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte. Tem como conselheiros algumas das principais lideranças empresariais com atuação na região, dos mais variados setores, que colaboram na organização e execução de uma agenda voltada aos interesses econômicos da comunidade valeparaibana. O Desenvolve Vale tem como missão promover relações empresariais e valorizar a importância dos setores produtivo, industrial e de serviços no desenvolvimento sustentável das cidades, sempre defendendo a ética, os princípios democráticos e a eficiência na gestão pública e privada. O Desenvolve Vale é coordenado por Kiko Sawaya.

CIRO GOMES-Foto:Divulgação
Instagram