4 soft skills de carreira que podem ser aprendidas com a prática de esportes radicais

Competências são tão importantes para o desenvolvimento profissional quanto o conhecimento técnico

Já é consenso o fato de que a prática regular de esportes beneficia não apenas a saúde física dos indivíduos, mas contribui também para melhorar outros aspectos de sua vida, que englobam desde questões de autoestima até habilidades interpessoais. No caso específico dos esportes radicais, modalidades onde há risco elevado, é possível notar o desenvolvimento de um grupo de competências que certamente podem ajudar quem deseja alavancar a carreira. Essas competências, também chamadas de soft skills, são tão importantes para o desenvolvimento profissional quanto o conhecimento técnico necessário para ocupar um determinado cargo. 

Esportes como escalada, voo livre, trekking, surf, rapel, entre outros, colocam o praticante em situações diferentes daquelas do cotidiano, forçando-o a pensar em novas formas de resolver eventuais desafios. Por isso, além de benefícios clássicos como a melhora do condicionamento físico e da capacidade respiratória, equilíbrio, ganho de força, resistência e diminuição de estresse, os esportes radicais, que se diferenciam por aumentar os níveis de adrenalina no organismo, podem contribuir para melhorar quadros de ansiedade e depressão. Abaixo, confira quatro soft skills que podem ser trabalhadas com a ajuda deste tipo de modalidade.

Foco e disciplina

Foco e disciplina são traços determinantes para uma carreira de sucesso. Skate, mountain bike e rapel são exemplos de modalidades que podem ajudar a trabalhar estas características, já que requerem muito treinamento e atenção redobrada para antecipar as dificuldades e se manter em segurança. 

Comunicação e trabalho em equipe

Esportes radicais de aventura e ação praticados em grupo, como é o caso do rafting e do airsoft (modalidade que simula cenários de combate com o uso de armamentos como pistola de pressão), são ideais para desenvolver o relacionamento interpessoal, já que cada pessoa do grupo é responsável por uma parcela do trabalho. Os integrantes devem se comunicar para traçar as melhores estratégias e contar uns com os outros para atingir um objetivo final.  

Resiliência

Ser resiliente é ser capaz de resistir às adversidades e de lidar com as incertezas. Praticantes de todas as modalidades esportivas podem trabalhar a resiliência em algum grau, mas os adeptos das modalidades radicais, como é o caso da escalada e do montanhismo, precisam desenvolver esta soft skill para se sentirem tranquilos em ambientes que estão fora da sua zona de conforto. 

Superação de limites

Por fim, a prática de esportes radicais pode ser um meio para conhecer e superar limites pessoais, além de ajudar a desconstruir crenças limitantes. Essa qualidade é especialmente positiva para a vida profissional, já que a experiência de conquistar um bom resultado influencia na autoconfiança e na motivação.

Foto: Divulgação

Instagram