Nota de pesar do ACNUR: falecimento do Dr. Cândido F. da Ponte Neto, Diretor-Executivo da Caritas Rio de Janeiro

O ACNUR, Agência da ONU para Refugiados, recebe com muito pesar a informação do falecimento do Dr. Cândido Feliciano da Ponte Neto, Diretor Executivo da Caritas Arquidiocesana do Rio de Janeiro (CARJ). A história de vida do Dr. Cândido se confunde com a história da proteção das pessoas refugiados no Brasil. Sua caminhada e dedicação ainda nos anos 1970 deu início a um trabalho sistemático de atenção a todas as pessoas refugiadas e solicitantes da condição de refugiado em território nacional.  

Seria impossível celebrar todos os feitos do Dr. Cândido em uma nota, mas é imprescindível reconhecer a importância única de sua participação na construção da atual Lei Brasileira de Refúgio e do sistema protetivo que surgiu com base nela, assegurando a participação da sociedade civil nas decisões tomadas sobre as pessoas que buscam proteção internacional no Brasil. Dr. Cândido atuou incansavelmente como representante da sociedade civil junto ao Comitê Nacional para os Refugiados (CONARE), papel que exerceu com muita dedicação até o seu falecimento. 

Dr. Cândido

“O Dr. Cândido foi e seguirá sendo em nossas memórias uma pessoa exemplar, que nunca se furtou de defender com afinco os direitos e a dignidade das pessoas refugiadas, sejam aquelas diretamente atendidas pelos serviços da CARJ como todas as demais que buscam proteção no Brasil. Lamentamos profundamente a perda dessa pessoa e profissional humanitário de quem muito nos orgulha a parceria estabelecida, de profundo impacto na vida das pessoas refugiadas”, afirmou Jose Egas, Representante do ACNUR no Brasil.

O ACNUR tem tido a honra de atuar em parceria com a CARJ há mais de 40 anos, sob a liderança cuidadosa do Dr. Cândido, em favor da proteção e integração local de pessoas refugiadas. O ACNUR seguirá fortalecendo esse trabalho conjunto, sempre inspirado no legado solidamente construído ao longo de tantos anos. Aos 27 anos de idade, Dr. Cândido já fazia atendimentos e orientava pessoas refugiadas por meio da CARJ. Todo esse tempo de dedicação reforça a perda de um profissional humanitário de reconhecida sensatez e conhecimento de causa sobre os direitos humanos.

ACNUR

O ACNUR estende suas condolências a todos os familiares, amigos e colaboradores da CARJ que, direta ou indiretamente, foram e continuam sendo influenciados positivamente pela dedicação desta pessoa para que refugiados das mais diversas nacionalidades, crenças e opiniões possam encontrar a devida proteção para reconstruir as suas vidas com dignidade e respeito.

A Agência da ONU para Refugiados está segura de que toda a trajetória do Dr. Cândido continuará sendo exemplo a todos os que trabalham pelas pessoas refugiadas no Brasil e na América Latina.

ACNUR/Divulgação Alto Comissário do ACNUR, Filippo Grandi, participa de encontro ao lado de Dr. Cândido em Brasília
Instagram