Cuidados com os pets devem ser mantidos durante o isolamento

Visitas regulares ao veterinário devem ser mantidas enquanto a pandemia durar

Todos que têm um animal de estimação dedicam tempo e dinheiro para cuidar de seus companheiros diários. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 44% dos domicílios brasileiros têm cães. Com o surgimento da pandemia do novo coronavírus, no entanto, essa atenção à saúde, como a ida regular ao veterinário, pode ficar de lado, devido às recomendações de isolamento social para conter o contágio da doença e a ilusão de que, por estar em casa mais tempo, não é necessário levar o pet a um profissional.

Mesmo assim, levá-los para consultas com profissionais formados na faculdade de Medicina Veterinária é algo que pode ser feito, desde que as medidas de prevenção sejam adotadas, como lavagem das mãos e uso de álcool em gel 70%. Segundo a Sociedade Brasileira de Infectologia, não há evidências de que os animais possam transmitir o vírus. Ainda assim, é preciso dar banho neles ao chegar em casa.  

“A Organização Mundial da Saúde (OMS), a Organização Internacional de Saúde Animal (OIE) e outros órgãos recomendam manter as práticas de higiene, como lavar as mãos após manusear os bichos, e dar banho neles a cada semana. É uma questão de mudança de hábito, pois, do mesmo jeito que o pelo dos pets pode abrigar o vírus, nossas roupas também podem. Ele [vírus] não tem pernas nem asas. Precisa da nossa ajuda para se proliferar”, explicou o médico veterinário Frederico Lobão, doutorando em patologia pela FMRP-USP.

No caso dos filhotes, as idas ao veterinário são ainda mais importantes, já que eles precisam receber as vacinas. Neste cenário, o profissional também deverá alertar ao dono quais as orientações sobre o comportamento, a alimentação, as vitaminas e todos os cuidados necessários para o devido crescimento do animal.

Entre os pets já idosos, o cuidado deve ser o mesmo. “Durante essa fase do animal, é natural que fiquem mais frágeis e debilitados e necessitem de uma atenção especial e uma regularidade nas consultas”, explica o veterinário André Christopher, da Clínica Dr. PetZoo, em Jundiaí. 

Além disso, os tutores devem levar em conta que não foram apenas suas rotinas que foram alteradas, mas dos animais também, já que não passeiam mais como antes e os donos passam mais tempo em casa. Assim, é importante ficar atento ao modos e comportamentos do pet, que podem indicar mudanças emocionais e físicas. Nesses casos, o mais indicado é levar o animal a uma consulta. 

Foto:Divulgação

Instagram