Consórcio ou financiamento: qual é o melhor caminho para adquirir um imóvel?

Veja a nossa comparação e escolha a melhor opção para a sua necessidade

Quer comprar o apartamento dos sonhos, mas está na dúvida de qual caminho escolher: financiamento ou consórcio? Aqui, você saberá quais são as principais vantagens e desvantagens de cada tipo de transação para que escolha o melhor caminho.

Para escolher a melhor opção entre o financiamento e o consórcio, é preciso analisar as suas próprias necessidades. Existem diferenças cruciais entre as operações, por isso avaliar as alternativas é fundamental para fazer uma boa escolha.

Financiamento

O financiamento imobiliário permite que uma pessoa compre um imóvel que esteja à venda, seja ele pronto ou ainda na planta, e pague o valor total em um prazo longo, que varia entre 15 e 30 anos, por meio de parcelas mensais.

Basicamente, o banco faz a análise de crédito do consumidor e define as condições de pagamento. Se não houver nenhuma restrição no nome, o cliente pode ter o financiamento aprovado rapidamente. Geralmente, os interessados dão uma porcentagem de entrada e o banco financia o restante do valor do imóvel.

Vantagens

  • Chave nas mãos assim que o contrato do financiamento for firmado.

Desvantagens

  • Comparando com os custos finais de um consórcio, as parcelas do financiamento são mais altas, por conta da taxa de juros. Em outras palavras, o custo final da compra de imóvel pelo financiamento imobiliário é maior.

Consórcio

O consórcio é formado por um grupo de pessoas que se junta para financiar a compra de imóveis. Por meio de parcelas mensais, é possível obter uma carta de crédito que garante a aquisição de um imóvel.

Não há taxa de juros nas parcelas de um consórcio, o que as tornam mais baratas do que as de um financiamento imobiliário. Para entrar em um consórcio, não há necessidade de comprovação de renda. Os valores do prêmio e da apólice são reajustados pelo INCC (Índice Nacional de Custo da Construção).

Vantagens

  • Não há incidência de taxa de juros nas parcelas, apenas a cobrança de uma taxa administrativa,
  • Não é necessário comprovar renda para entrar em um consórcio.

Desvantagens

  • Ao entrar num consórcio, o cliente pode demorar para receber as chaves do imóvel. Isso porque há um sistema de sorteio por meio de lances que contemplam apenas alguns clientes por vez,
  • A contemplação do consórcio acontece por meio de lance ou sorteio. Assim, caso não faça uma oferta, o cliente fica dependendo da sorte, podendo ser contemplado apenas no final do plano de consórcio, o que pode durar até 15 anos.

Conclusão

A melhor opção depende da necessidade do comprador. Para quem mora de aluguel e precisa mudar imediatamente, por exemplo, o financiamento é a melhor opção. Apesar de ter o custo final mais caro, o consumidor poderá economizar o dinheiro do aluguel e mudar para o imóvel financiado de imediato.

Agora, se o consumidor pode esperar para mudar para o imóvel e pensa em fazer a mudança somente em médio ou longo prazo, por exemplo, o consórcio é a melhor opção, já que as parcelas são mais baixas em comparação com as de um financiamento.

Também há a possibilidade de você morar de aluguel e ainda ter um bom tempo de contrato para cumprir. Neste caso, a melhor opção provavelmente é financiar um imóvel na planta. Assim, você já fica sabendo da data de entrega das chaves e terá a certeza de que poderá se mudar quando seu contrato de aluguel estiver no fim.

Apesar de a opção pelo consórcio baratear os custos, não há uma garantia que você terá as chaves do seu imóvel quando seu contrato de aluguel terminar. Como falamos no texto, o consórcio tem como base lances ou sorte, ou seja, não há como prever quando você será contemplado.

Instagram