Rio Grande do Norte lidera ranking de capacidade instalada de usinas eólicas

 O Rio Grande do Norte lidera o ranking dos estados com maior capacidade instalada de usinas eólicas em operação comercial no país, com 4.358,38 MW. Os dados, referentes a abril, são do InfoMercado Dados Gerais,divulgado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE.

Na lista dos cinco estados que mais concentram capacidade de geração de energia por meio da força dos ventos, estão ainda Bahia, Ceará, Rio Grande do Sul e Piauí, conforme a tabela abaixo, o que ressalta a predominância do Nordeste e do sul neste tipo de fonte.

Rio Grande do Norte

Ao todo, as eólicas tiveram uma geração de energia em abril de 4.220 MW médios, o que corresponde a 17% de aumento em relação ao mesmo mês no ano passado. Os números comprovam a tendência de crescimento da fonte, mesmo com a queda de 11,8% no total de energia gerada no Sistema Interligado Nacional – SIN.

Usinas eólicas

Já o consumo de energia naquele mês caiu 11,9% na comparação anual, de 65.186 MW médios para 57.442 MW médios. O mercado regulado apresentou queda de 11,3%, para 40.473 MW médios, enquanto o mercado livre viu a demanda recuar 13,2%, para 16.970 MW médios, comportamento explicado pela migração de consumidores e pelas medidas restritivas para combate à Covid-19.

Saiba mais

Mercado livre – ambiente onde o consumidor pode escolher o fornecedor de energia, bem como as condições de contratação, seja diretamente com a geradora, seja com um comercializador de energia. A contratação é feita bilateralmente ou por meio de leilões de venda de energia promovidos por geradoras ou comercializadoras. É conhecido também pelo jargão ambiente de contratação livre (ACL).

Mercado regulado – ambiente onde o consumidor tem a gestão da energia feita pela distribuidora na qual ele está conectado. É conhecido também pelo jargão ambiente de contratação regulada (ACR), com leilões realizados pelo governo.

Produtor independente de energia – agente de geração que pode negociar a energia produzida no mercado regulado ou no mercado livre.

Autoprodutor de energia – consumidor que produz a própria energia elétrica, com a implantação de usinas de qualquer fonte de energia.

Comercializador de energia – agente autorizado a intermediar operações de compra e venda de energia entre geradores e consumidores de energia, entre outras transações.

Comercializador varejista – figura criada para abrigar consumidores especiais ou geradores com cargas menores, de até 1 MW.

Consumidor livre – é aquele que contrata energia no mercado livre, sem qualquer restrição de fonte de energia, com carga acima de 2 MW.

Consumidor especial – é aquele que contrata energia no mercado livre, desde que seja gerada por fontes renováveis (eólica, solar, pequenas centrais hidrelétricas e usinas a biomassa ou biogás), com carga acima de 0,5 MW. A energia adquirida por consumidores especiais é conhecida no setor como energia incentivada, porque garante descontos em uso de sistemas de transporte da energia (transmissão ou distribuição).

CCEE

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE (www.ccee.org.br) é responsável por viabilizar e gerenciar a comercialização de energia elétrica no país, garantindo a segurança e o equilíbrio financeiro deste mercado. A CCEE é uma associação civil sem fins lucrativos, mantida pelas empresas que compram e vendem energia no Brasil. O papel da CCEE é fortalecer o ambiente de comercialização de energia – no ambiente regulado, no ambiente livre e no mercado de curto prazo – por meio de regras e mecanismos que promovam relações comerciais sólidas e justas para todos os segmentos do setor (geração, distribuição, comercialização e consumo).

Imagem de René Bittner por Pixabay

Instagram