Prefeitura agiliza averiguação de casos de violência doméstica

Uma mudança feita na tramitação interna das solicitações que chegam via 156 sobre situações de violência está trazendo mais agilidade e eficiência nos atendimentos feitos pelos Creas (Centro Especializado de Assistência Social).

Desde o início de agosto, as solicitações passaram a ser encaminhadas diretamente às unidades, o que significa que a demanda passa pela avaliação imediata da equipe especializada, possibilitando uma averiguação mais rápida da situação de violência sobretudo aquela contra idosos, mulheres e crianças.

No processo anterior, todas as demandas eram encaminhadas para a Secretaria de Apoio Social ao Cidadão, onde passavam por uma triagem para depois serem enviadas às coordenações especializadas. Somente após a análise do coordenador geral, a demanda era encaminhada ao Creas para apuração da denúncia sobre violência.

Para o coordenador do Creas Centro/Norte, Ralpho Costa, psicólogo e servidor de carreira da Prefeitura há 26 anos, a reorganização do fluxo de solicitações está trazendo mais efetividade ao dia a dia dos profissionais dos Creas, além de proporcionar a quem recorre ao 156 uma resposta mais rápida. “Como a solicitação chega imediatamente para nós, a avaliação é feita na hora e já temos condições de agendar a visita ou uma conversa com a família. Isso possibilita ações mais rápidas sobre a situação de violência, além de proporcionar a quem fez a solicitação a certeza de que o pedido foi acolhido”, concluiu.

Creas (Centro Especializado de Assistência Social)

Para operar o sistema, as equipes dos Creas passaram por uma capacitação realizada pelo Departamento de Integração Comunitária da Secretaria do Apoio Social ao Cidadão, em parceria com o Departamento de Gestão Estratégica da Prefeitura.

Trabalho integrado

Embora uma das funções do Creas seja averiguar denúncias de violência, o serviço não tem poder de polícia, de forma que, de acordo com a situação relatada ou verificada, os profissionais podem solicitar, por exemplo, apoio das forças de segurança e órgãos do judiciário.

Creas

As unidades do Creas oferecem atendimento e acompanhamento especializado para as situações de violação de direitos que envolvem mulheres, público LGBT, homens, pessoas com deficiência, idosos e crianças.

Serviços

• Escuta qualificada feita por psicólogos e assistentes sociais
• Averiguação de denúncias de maus tratos contra idosos
• Avaliação e encaminhamento de idosos para abrigos de longa permanência
• Acompanhamento de famílias com crianças e adolescentes desligadas de abrigos que retornaram para o convívio familiar
• Realização do atendimento emergencial às mulheres em situação de violência e encaminhamento ao serviço específico
• Encaminhamento de mulheres com medida protetiva para o abrigo protegido
• Encaminhamento para abrigos femininos e de famílias
• Inserção do programa Pró-Trabalho
• Atendimento de demandas espontâneas ou encaminhadas pela rede
• Atendimento de criança, adolescente e seus familiares em situação de violências doméstica e sexual; averiguação e diagnóstico de todas as denúncias e notificações encaminhadas pelo Conselho Tutelar
• Promoção do atendimento aos casos confirmados de Violências Doméstica e Sexual Contra Crianças e Adolescentes
• Acompanhamento de adolescentes em conflito com a Lei no cumprimento de medidas sócio educativas

Desde o início de agosto as solicitações passaram a ser encaminhadas diretamente as unidades, possibilitando uma averiguação mais rápida da situação de violência – Foto: Charles de Moura/PMSJC

Instagram