Descarte consciente: a importância de descartar adequadamente cartelas de remédio

Embalagens e substâncias de medicamentos podem contaminar o solo e causar prejuízos para o meio ambiente

Sejam caixas de remédios vazias ou com alguns comprimidos sobrando, o descarte de medicamentos e suas embalagens deve seguir alguns padrões rigorosos de cautela. Isso porque, mesmo em pequenas quantidades, estes materiais podem causar grande estrago para o meio ambiente.

Até mesmo uma cartela de remédios vazia pode contar um pouco da substância que ali estava armazenada. Quando ela não recebe o destino adequado, pode se juntar a outros produtos, gerando outras substâncias nocivas para a vida de animais, contaminando o solo, chegando aos lençóis freáticos e provocando prejuízos para a vida.

Então, qual é o melhor destino para os restos de medicamentos?

Reciclagem e incineração

Todos os medicamentos produzem pelo menos dois tipos de lixo: um que pode ir para a reciclagem e outro para a incineração.

A embalagem mais externa, geralmente feita de papel, pode ser encaminhada para a reciclagem desses materiais, desde que não tenha tido contato com as substâncias internas. Até mesmo a bula deve receber este fim – uma maneira mais consciente de não desperdiçar o material.

Quanto às cartelas e outras partes que entram em contato com o medicamento, é importante que elas sejam incineradas. Farmácias e faculdades de curso de farmácia normalmente recolhem esses materiais para que sejam encaminhados para um destino adequado.

Remédios vencidos

Se na embalagem ainda há medicamentos, o produto deve receber um destino ainda mais específico. Nestes casos, o conteúdo inteiro deve ser encaminhado para algum ponto de coleta, que fará o descarte apropriado da substância.

Medicamentos vencidos jamais devem ser consumidos ou descartados como outros produtos. Tanto a lata de lixo, quanto o ralo da pia, por exemplo, podem levar essas substâncias para a natureza, causando danos a animais e outros seres vivos.

Descarte consciente é responsabilidade do consumidor

Após ser adquirido, o medicamento fica na responsabilidade do comprador. Por isso, se ele parar em mãos indevidas ou tiver um descarte inadequado, causando prejuízos para a sociedade, o consumidor poderá ser responsabilizado pelos danos causados.

Por isso, do momento da compra, passando pelo consumo e até o descarte, é importante que os medicamentos sejam bem armazenados em locais seguros e que estejam longe do alcance de crianças e animais. Além de proteger a vida das pessoas em sua casa, isso também garantirá mais segurança para todo o seu ambiente.

Foto:Divulgação

Instagram