Da fábrica ao consumidor: a redução de desperdícios configurada como princípio organizacional

Medidas como melhor gestão de estoque e corte no tempo ocioso do processo de criação influenciam positivamente no balanço mensal de uma empresa.

O gestor de micro e pequenas empresas tem em mente, como os demais empreendedores, obter lucro ao estabelecer seu negócio no mercado. A intenção é que ele consiga ter bons resultados financeiros no mês. Para cumprir essa meta, é necessário atenção aos gastos.

Em momentos de crise, como a enfrentada pela economia brasileira recentemente, a diminuição dos gastos é uma alternativa interessante para conseguir uma margem de lucro maior. Ao aplicar uma filosofia organizacional de manufatura enxuta, ele consegue adotar um modelo de produção mais eficiente e barato.

A conta para se chegar a essa conclusão é muito simples. Se está difícil fazer com que se tenha um aumento no faturamento, então uma forma de ganhar dinheiro, ou melhor, de deixar de perder, é diminuindo os gastos. A questão, então, passa a ser como reduzi-los de forma inteligente e eficiente.

Isso porque não adianta decidir cortar custos se for adotada uma estratégia que prejudique a qualidade do produto final. Economizar na mão de obra qualificada ou na matéria-prima, por exemplo, é uma decisão que afetará a percepção das pessoas sobre o seu produto, impactando, consequentemente, seu valor e o número de vendas.

A melhor solução é analisar e identificar pontos, da produção até a entrega para o cliente, em que sejam notáveis desperdícios. Sejam eles de recursos, do uso da mão de obra, de tempo, entre outros. O importante é que se adote uma mentalidade que otimize o processo como um todo.

Reduzindo desperdícios

Como forma de auxiliar os empreendedores, foi desenvolvido o chamado Lean Manufacturing, ou manufatura enxuta. Essa é uma filosofia que serviu de base para o desenvolvimento de metodologias e ferramentas diversas, que visam reduzir os desperdícios do processo. Veja algumas delas abaixo.

Estoque baixo

A gestão de estoque é um ponto importante. Não é nada interessante — e lucrativo — ter um estoque muito grande, acima do que se pode vender, ou muito pequeno, o qual exige uma produção constante, já que ele por si só não dá conta da demanda. Para os negócios, nenhuma das opções é vantajosa.

Isso porque esse material pode ficar guardado por muito tempo, perdendo seu prazo de validade, ou apresentando defeitos por armazenagem inadequada, por exemplo. Sem contar que, estoque em excesso é sinônimo de dinheiro parado, que poderia ser utilizado em outras áreas ou investimentos.

Desta forma, o ideal é que se planeje as compras do mês com antecedência e atenção. Assim, cria-se um planejamento no qual o estoque adquirido seja o suficiente para atender as demandas do mês. Gerir bem um estoque é sinal de economia e mais dinheiro para investir.

Transporte

Existe também focos de desperdícios no transporte, seja ele de materiais ou de pessoas. Esses desperdícios estão associados não somente ao gasto com combustível para a realização desse transporte, mas também de tempo.

Assim, o ideal é que a produção e processos auxiliares, tais como supervisão e manutenção, estejam próximos. O layout da organização deve ser pensado para que setores e atividades correlacionadas fiquem próximas, evitando uma maior perda de tempo e recursos nessa locomoção.

Elimine o tempo ocioso

Equipamentos ou trabalhadores parados, que ficam muito tempo ociosos dentro de uma cadeia de produção, é outro foco que deve ser solucionado. Essa improdutividade resulta em um gasto, principalmente com mão de obra, que não está sendo revertido em faturamento.

Nesse sentido, o ideal é conseguir implementar uma mentalidade de fluxo contínuo no processo de produção, diminuindo o máximo possível o tempo ocioso existente.

Detecte defeitos

Procure identificar pontos que causem defeitos em seu produto, adotando medidas para que eles não se repitam. Isso porque produtos defeituosos causam uma despesa extra para a empresa, exigindo tempo a mais dos trabalhadores e gastos envolvendo ferramentas e máquinas para que ele seja retrabalhado.

Alguns fatores específicos podem causar esses defeitos, como baixa qualidade da matéria-prima, da mão de obra ou pela realização de processos deficientes. Dessa forma, procure padronizar algumas atividades, fique atento à qualidade dos materiais básicos para produção e invista em uma mão de obra qualificada.

Instagram