Todas as mulheres podem e merecem ter um parto humanizado

A expressão parto humanizado diz respeito à forma como ele ocorre e não ao fato dele ser cesárea ou normal

Ao contrário do que muitos acreditam, a humanização no parto não é uma exclusividade do parto por via vaginal, conhecido como normal. Mesmo as mulheres que optam ou precisam passar por uma cesárea podem ter um parto humanizado e desfrutar de todas as vantagens que ele traz para a mamãe e o bebê.

“O que configura a humanização no parto é o cuidado da equipe médica, o respeito pelas escolhas da gestante e algumas práticas que garantem muito bem-estar à mãe e ao bebê como o respeito à Golden Hour, ou primeira hora”, explica a pediatra e neonatologista do Sistema Hapvida, Dra. Sabrina Nunes e Souza.

 Parto humanizado

Para oferecer o melhor cuidado às parturientes e aos bebês, a maternidade do Hospital São José tem investido e adotado protocolos humanizados durante os partos. Logo ao nascerem os bebês já são colocados sobre a mãe ainda envolto em vérnix, uma substância de aparência esbranquiçada e com textura gordurosa e pastosa, que recobre a pele do recém-nascido e tem a função de protegê-la.

“Esse contato precoce com o corpo da mãe é muito importante, pois a pele estéril do bebê será colonizada por bactérias da própria casa onde ele viverá auxiliando na formação da imunidade. Isso sem falar dos benefícios do vínculo afetivo e da amamentação”, afirma Dra. Sabrina.

“Golden hour”

A amamentação na primeira hora de vida ou “golden hour” também é praticada, pois ela traz muitos benefícios. O colostro, líquido amarelado que desce antes do leite, é muito rico em anticorpos e nutrientes. Além disso, nesse momento, o bebê está alerta e com os estímulos de sucção aguçados, criando o momento perfeito para que ele conheça a mãe e receba acolhimento para se tranquilizar após o desconforto da diferença de temperatura diferente, luz e da primeira respiração.

Esse contato próximo com o recém-nascido e o aleitamento precoce também vão auxiliar na produção de hormônios benéficos para o estreitamento da relação tais como a ocitocina, considerada o “hormônio do amor”.

Além de realizar todas essas práticas, a equipe da maternidade do Hospital São José ainda mantém os bebês no quarto com a mãe, para garantir que eles comecem a criar a própria rotina desde os primeiros momentos de vida.

Sistema Hapvida

Com mais de 6,7 milhões de clientes, o Sistema Hapvida hoje se posiciona como um dos maiores sistemas de saúde suplementar do Brasil presente em todas as regiões do país, gerando emprego e renda para a sociedade. Fazem parte do Sistema as operadoras do Grupo São Francisco, RN Saúde, Medical, Grupo São José Saúde, além da operadora Hapvida e da healthtech Maida. Atua com mais de 36 mil colaboradores diretos envolvidos na operação, mais de 15 mil médicos e mais de 15 mil dentistas. Os números superlativos mostram o sucesso de uma estratégia baseada na gestão direta

Imagem de MANOEL M. PEREIRA VALIDO FILHO MVALIDO por Pixabay 

Instagram