Com apoio do programa +Orgulho, São José dos Campos realiza 1ª Parada Virtual do Orgulho LGBTQIA+ dia 8 de novembro

Um dos destaques da programação é a drag queen Alexia Twister, que participará do debate sobre os direitos LGBTQIA+

No dia 8 de novembro, domingo, a partir das 17h, artistas e ativistas LGBTQIA+ de São José dos Campos participam uma live nas redes sociais com debates e apresentações artísticas. O evento, cujo tema será Preconceito é Crime, é uma iniciativa da Associação LGBT+ de São José dos Campos com apoio do Programa +Orgulho, criado pelo Museu da Diversidade Sexual. O objetivo central é debater os direitos dessa população, dando destaque para temas atuais, como a discussão sobre a defesa da criminalização da LGBTfobia e a construção de um ambulatório para a população de travestis e transexuais no município. As ações serão veiculadas por meio da plataforma de streaming #CulturaEmCasa e pelo Facebook e Instagram da Associação LGBT+ de São José dos Campos.

Associação LGBT+ de São José dos Campos

O +Orgulho é um programa criado pelo Museu da Diversidade Sexual (MDS) via Amigxs da Arte, organização Social de Cultura responsável pela gestão do Museu através do Programa de Apoio à Cultura LGBTQIA+, criado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo.

“Por um ambulatório trans em SJC”

A programação será iniciada com um debate sobre os direitos LGBTQIA+ e a campanha “Por um ambulatório trans em SJC”. Em seguida, acontecerá o debate “Pelo direito de existir, resistir e de amar”. Na sequência, estão programadas apresentações artísticas.

+Orgulho

Desde março o +Orgulho viabilizou a mostra digital Queerentena – com artistas de diversos estados, uma exposição de artes pela plataforma Google Arts & Culture, a celebração da Parada LGBTQIA+ paulistana e uma programação especial em agosto, mês da Visibilidade Lésbica. A ação das Paradas virtuais é fruto de uma parceria entre o Museu da Diversidade Sexual e o #CulturaEmCasa, plataforma de streaming de vídeos que reúne de forma gratuita o que há de melhor na programação cultural produzida por artistas e profissionais do setor.

O objetivo do programa é selecionar e apoiar projetos de Paradas do Orgulho da população LGBTQIA+ no interior e litoral do Estado de São Paulo. As atividades culturais e ações de visibilidade têm como base a promoção dos direitos humanos, o combate à discriminação e a visibilidade da população LGBTQIA+.

Além da celebração do orgulho de viver a diversidade e incentivar uma cultura de paz e convivência, o projeto também gera um impacto direto nas cidades contempladas ao fomentar o turismo e movimentar o calendário de atividades culturais, educativas e de lazer referente às Paradas.

O programa foi criado em 2017 e contemplou 10 municípios na sua primeira edição, doze na segunda e na terceira (2018 e 2019) e 25 no ano de 2020. Como forma de adaptação às modificações causadas pela pandemia da coronavírus, as cidades contempladas realizarão uma ampla coleta de testemunhos através do programa Memórias da Diversidade Sexual.

A seleção de cidades foi operada por uma comissão composta por integrantes de diversas secretarias do Governo do Estado e representantes da sociedade civil. Os quesitos para a escolha incluíram qualidade do projeto, localização geográfica, dados de sobre LGBTfobia no município, entre outros.

Memórias da Diversidade Sexual

O projeto Memórias da Diversidade Sexual é uma iniciativa inédita do Museu da Diversidade Sexual e da Amigxs da Arte que propõe o registro audiovisual de entrevistas simples e diretas com integrantes da comunidade LGBTQIA+ do país que contam suas lembranças, memórias, histórias, vivências e experiências. Nas entrevistas, estão assuntos como família, trabalho, relacionamentos, encontros, participação nas Paradas, sexualidade, pontos de convivência, discriminação, preconceito, história e militância.

A junção das duas ações, o +Orgulho e a Memórias da Diversidade Sexual, visibilizam e preservam a memória das Paradas, além de reforçar o papel de ativistas e pessoas LGBTQIA+ que ajudaram a construir a história do movimento pelo interior e litoral do estado de São Paulo.

As entrevistas reúnem pessoas de diversas raças, etnias, gerações, identidade de gênero, orientação sexual e pessoas com deficiência que sejam residentes da cidade onde se realiza a Parada e integrantes da sigla LGBTQIA+ (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros etc). O acesso ao conteúdo será pela plataforma virtual de streaming #CulturaEmCasa, lançada pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo em abril deste ano e é gerida pela Organização Social Amigxs da Arte em parceria com o Museu da Diversidade Sexual.

Parada LGBTQIA+ de São José dos Campos

8 de novembro, domingo, a partir das 17h

Transmissão#CulturaEmCasaFacebook e Instagram

#CulturaEmCasa

Lançada no dia 20 de abril pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, a plataforma #CulturaEmCasa disponibiliza gratuitamente conteúdos inéditos das instituições de cultura do Estado de São Paulo. O acesso é por meio do site http://www.culturaemcasa.com.br e os conteúdos podem ser assistidos gratuitamente por televisão, computador, tablets e celulares. Em breve, serão lançados aplicativos para cada meio.

Museu da Diversidade Sexual

Primeiro equipamento cultural da América Latina relacionado à temática, o Museu da Diversidade Sexual foi criado em maio de 2012 e é uma instituição vinculada à Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. Sua missão é preservar o patrimônio sócio, político e cultural da comunidade LGBTI+ brasileira através da coleta, organização e disponibilização pública de referenciais materiais e imateriais. As atividades culturais, educativas e expositivas do MDS têm foco nas orientações, identidades e expressões de gênero dissidentes.

Amigxs da Arte


A Amigos da Arte, Organização Social de Cultura responsável pela gestão do Museu da Diversidade Sexual (MDS), trabalha em parceria com o Governo do Estado de São Paulo e iniciativa privada desde 2004. Música, literatura, dança, teatro, circo e atividades de artes integradas fazem parte da atuação da Amigos da Arte, que tem como objetivo difundir a produção cultural por meio de festivais, programas continuados e da gestão de equipamentos culturais públicos como o Teatro Sérgio Cardoso e o Teatro Estadual de Araras. Saiba mais em: www.amigosdaarte.org.br.

Museu da Diversidade Sexual (MDS)

Estação República do Metrô, n° 24. R. do Arouche – República. São Paulo (SP).

O museu está localizado dentro da Estação República do Metrô, atrás da bilheteria. Piso Mezanino, loja 518.

Site/plataforma:

www.culturaemcasa.com.br

www.amigosdaarte.org.br

www.mds.org.br

Redes Sociais:

https://www.facebook.com/culturaemcasasp/

https://www.instragram.com/culturaemcasasp/

https://www.facebook.com/museudadiversidadeoficial/

https://www.instagram.com/museudadiversidadesexual/

https://twitter.com/mus_diversidade/

https://www.facebook.com/amigosdaartesp/

https://www.instagram.com/amigosdaartesp/

Presidente da Associação LGBT+ de São José dos Campos – Kika Medina,Alexia Twister & Cibelle Xuxu
Instagram