Falta de sexo faz mal para o corpo da mulher?

Saiba quais são os impactos que a ausência de relações sexuais causa no organismo feminino.

O sexo traz benefícios que vão muito além dos sentimentos de prazer e bem-estar. Nesse sentido, o que poucos sabem é que ele também é importante para a saúde da mulher de forma geral. Entretanto, com uma rotina pesada de afazeres, como estudo, trabalho, casa e filhos, o sexo tende a ficar em segundo plano na lista de prioridades femininas. Contudo, a falta de sexo pode gerar consequências negativas, emocionais e físicas, que muitas vezes passam despercebidas.

Consequências da falta de sexo

Veja, a seguir, como a abstenção sexual pode afetar o corpo da mulher.

Enfraquece a imunidade

A prática sexual regular estimula o sistema imunológico, minimizando os riscos de contrair um resfriado ou uma gripe, por exemplo. Por esse motivo, ficar sem ter relações sexuais por um longo período pode aumentar a possibilidade de contrair algum tipo de infecção.

Segundo os pesquisadores da Universidade Norte-Americana Wilkes-Barre, mulheres que praticam sexo pelo menos uma vez por semana chegam a ter um aumento de 30% da imunoglobulina A (IgA) — elemento que estimula o sistema imunológico e auxilia no combate a infecções.

Dores de cabeça mais frequentes

De acordo com estudos realizados por cientistas alemães da Universidade de Münster, o sexo funciona como uma espécie de analgésico natural para a dor de cabeça, minimizando a enxaqueca e a cefaleia em salvas, que é o tipo mais agressivo que existe. Vale ressaltar que a cefaleia em salvas, além de ser rara — diferente da enxaqueca, que é muito comum — ataca muito mais homens com idade superior a 30 anos do que mulheres de qualquer faixa etária.

Diminui a flexibilidade

Se você está tendo dificuldade em realizar as tarefas do dia-a-dia ou anda sentindo muitas dores no corpo, a resposta para isso pode ser a falta de sexo. Quanto mais sexo uma pessoa fizer, mais saudável será o seu organismo, visto que a relação sexual possibilita um relaxamento natural dos músculos,

aumentando a flexibilidade. Por esse motivo, é normal sentir dores no corpo quando a relação sexual volta a fazer parte da rotina.

Mais ansiedade e estresse

De acordo com um estudo feito pela Universidade do Oeste Escocês, a falta de sexo pode elevar a pressão sanguínea relacionada ao estresse. A pesquisa monitorou, por meio de um diário, as atividades sexuais dos voluntários por duas semanas. Além disso, a pressão arterial deles também foi controlada em diferentes momentos do dia.

O estudo mostrou que, durante o ato sexual, a pressão arterial diminui. A explicação científica é a seguinte: a produção de hormônios com efeito “calmante” aumenta durante a relação sexual, atuando de forma positiva na pressão.

Autoestima baixa

A falta de sexo afeta negativamente a felicidade do casal (caso a pessoa tenha um relacionamento fixo). O fato de não fazer sexo com o parceiro pode afetar a autoestima.

Ademais, já é comprovado cientificamente que a falta de sexo causa alterações no humor, podendo levar a pessoa a desenvolver um quadro depressivo, uma vez que ela passa a questionar se existe algo de errado consigo.

Diminui a lubrificação da mulher

A ausência da prática sexual pode afetar o organismo e os hormônios do indivíduo. Quando uma pessoa deixa de fazer ou simplesmente não faz sexo, sua libido é afetada. Entretanto, o desejo sexual está diretamente ligado à excitação e à lubrificação. Sendo assim, ficar um longo período sem relação sexual pode causar alguma dificuldade ou até mesmo dores ao voltar a praticar o ato.

Deixa a pele e o cabelo menos brilhosos

Os hormônios liberados durante a prática sexual auxiliam na produção de nutrientes  cruciais para manter a elasticidade e o brilho da pele.

Instagram