Em São Paulo, mortes de motociclistas superam a de pedestres durante a pandemia

De acordo com a CET, trânsito da capital registrou mais de 800 mortes ao longo de 2020

Em 2020, São Paulo registrou um aumento de 16% nas mortes de motociclistas no trânsito. De acordo com dados da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), ao todo, foram 345 óbitos, enquanto em 2019 foram registrados 297. A marca do último ano superou até mesmo as mortes de pedestres, algo que só aconteceu uma única vez desde quando a CET passou a fazer esses levantamentos.

Ao longo do ano, foram 809 mortes no trânsito da capital paulista – 2,2% a mais que em 2019. Esse foi o maior índice registrado desde 2012, sendo que os motociclistas representam 38,7% desse total. Quanto aos pedestres, o número de óbitos caiu em 12%, se comparado com o ano anterior.

Acredita-se que a pandemia teve um papel decisivo quanto a esses números. Com a diminuição drástica da circulação de pessoas, devido ao isolamento social, os acidentes com pedestres consequentemente diminuíram. Por outro lado, o número de motociclistas nas ruas aumentou, principalmente porque muitas pessoas passaram a trabalhar com entregas, então isso também colaborou com o aumento de óbitos do grupo.

A CET aponta que as principais causas das mortes foram excesso de velocidade, irresponsabilidade no trânsito e falta de experiência dos motociclistas. A maior parte dos acidentes aconteceu aos fins de semana, entre as noites de sexta, sábado e domingo. Dos 345 óbitos registrados, 153 foram dentro desse período, representando quase metade do total.

A maioria dos motociclistas mortos eram homens, tinham entre 20 e 30 anos de idade, eram motofretistas e estudantes. O presidente do Sindicato de Motociclistas de São Paulo, Gil Almeida, atribui o modelo de negócios dos aplicativos de entrega como principal causador desses acidentes. Segundo Almeida, tais empresas não respeitam os direitos trabalhistas nem as leis de trânsito, fazendo com que muitos motociclistas atuem sem regulamentação e com condições de trabalho precárias.

Especialistas acreditam que a tendência é piorar, conforme a situação do país for se normalizando. Com mais pessoas circulando nas ruas, os acidentes com motociclistas apenas colocarão outros em risco. Como uma medida de conscientização, a fim de aumentar a cautela dos motociclistas, as secretarias municipais de Saúde e de Mobilidade e Transportes, em parceria com o Samu e profissionais formados na faculdade de medicina, lançarão uma campanha em vídeos falando sobre os limites de velocidade e respeito às leis de trânsito.

Foto:Divulgação

Instagram