Partidos e organizações convocam ato dos 10 anos da desocupação do Pinheirinho

Partidos, centrais sindicais, sindicatos e movimentos sociais estão preparando um ato unitário que vai marcar os 10 anos da desocupação do Pinheirinho, no dia 22 de janeiro, às 10h, em frente a antiga ocupação, em  São José dos Campos (SP). Mais de cem entidades e figuras públicas assinam a nota de convocação da manifestação.

“Massacre do Pinheirinho completa 10 anos. Não esqueceremos”

A nota, intitulada “Massacre do Pinheirinho completa 10 anos. Não esqueceremos”, tem a assinatura de partidos como o PSTU, o PCB e correntes do PSOL, de mandatos parlamentares, centrais sindicais e diversos sindicatos do país e movimentos populares (confira ao final do texto). A CSP-Conlutas e o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos também estão à frente da construção da atividade.

Pinheirinho

A operação para a retirada dos moradores do Pinheirinho foi uma das maiores e mais violentas desocupações ocorridas no país. Em 2012, o governador de São Paulo Geraldo Alckmin e o prefeito de São José dos Campos Eduardo Cury, ambos do PSDB, organizaram uma megaoperação com dois mil policiais e aparato de guerra para expulsar 1.800 famílias que ocupavam o terreno conhecido como Pinheirinho desde 2004. A ação, marcada por extrema violência e injustiça social, ganhou repercussão nacional e internacional.

Ato e semana de atividades

Antes do ato, a semana contará com várias atividades que começarão no dia 16, para marcar a data, como exposição de fotos, exibição do documentário “Elas Continuam Lutando”, promovido pelo Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, lançamento do filme “Pinheirinho dos Palmares: a luta contra as injustiças”, panfletagens e ação nas redes sociais.

Também será feito um chamado para que possam ocorrer manifestações em memória aos 10 anos da desocupação do Pinheirinho nas ocupações populares pelo país onde for possível.

Confira a íntegra da nota:

Massacre do Pinheirinho completa 10 anos. Não esqueceremos!

 Este ano, no dia 22 de janeiro, completarão 10 anos da trágica desocupação do Pinheirinho em São José dos Campos. Pela crueldade, truculência e violação dos direitos humanos de 1.800 famílias que moravam no local, o caso ganhou repercussão nacional e internacional e provocou enorme indignação diante de tamanha injustiça social e violência. A ação entrou para a história não só de nossa cidade, mas da luta por moradia no país.

O Pinheirinho foi uma ocupação que existiu por oito anos. Já havia se tornado um bairro a partir da auto-organização do povo pobre, com casas, pequenos comércios, igrejas, templos e praças. Às vésperas da desocupação, depois de tantos anos de luta, havia um processo de negociação para regularização da área, que contava com a participação dos governos federal e estadual.

Porém, em dezembro de 2011, a juíza da 6ª Vara Cível de São José dos Campos, Márcia Loureiro, determinou a reintegração de posse da área. A ordem de despejo chegou a ser derrubada no dia 18 de janeiro, mas, na madrugada do dia 22, mulheres, idosos e crianças foram surpreendidas em suas casas, enquanto ainda dormiam, com a presença de dois mil soldados, helicópteros, cavalaria, cães, bombas de gás lacrimogênio, balas de borracha e spray de pimenta.

Um verdadeiro aparato de guerra montado pelos governos estadual e municipal de Geraldo Alckmin e Eduardo Cury, ambos do PSDB.

Com a ação truculenta e desumana, as famílias perderam tudo, sem terem tido tempo sequer para pegar documentos, roupas e demais pertences. Duas pessoas morreram em consequência da ação. Os moradores ficaram por vários meses, desalojados, vivendo em estruturas extremamente precárias montadas pela Prefeitura. Os danos morais, materiais e psicológicos trazem consequências até hoje.

Dez anos depois, o terreno do Pinheirinho de 1 milhão de metros quadrados voltou a ser uma área sem qualquer função social. A Selecta, que foi favorecida pela Justiça e pelos governos com a reintegração de posse, nunca pagou e continua sem pagar um centavo do imposto sobre o terreno.

Essa crueldade não será esquecida.

Nós, partidos, sindicatos e movimentos sociais abaixo-assinados, reunidos no dia 6 de janeiro de 2022, discutimos a organização de um ato para marcar essa data. 

No próximo dia 22, sábado, estaremos em frente ao terreno da antiga ocupação, na Estrada do Imperador, s/n, na região sul, para lembrar essa história. A partir do dia 16, serão realizadas também exposição de fotos, panfletagens, exibição de documentário e lançamento de um filme sobre o Pinheirinho.

Chamamos todas as entidades e organizações que queiram participar da construção desse ato.

Para nunca esquecermos, para que nunca mais se repita. Para cobrar justiça e reparação. Para reafirmar que a luta por moradia e por condições dignas de vida é um direito!

Nota do Comitê Organizativo do ato de 10 anos da desocupação do Pinheirinho

ASSINAM: 

Partidos, Correntes Políticas e figuras públicas

PSTU (Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado)

PCB (Partido Comunista Brasileiro)

LS (Luta Socialista) – PSOL

MES (Movimento Esquerda Socialista) – PSOL

Resistência – PSOL

Insurgência – PSOL

CST (Corrente Socialista dos Trabalhadores) – PSOL

AS – Alternativa Socialista – PSOL

PT – Diretório Barra do Piraí (R.J)

LIT – QI (Liga Internacional dos Trabalhadores – Quarta Internacional)

Mandato do Deputado Federal Ivan Valente – PSOL

Mandato da Deputada Federal Sâmia Bonfim – PSOL

Mandato de Vereadora da Bancada Feminista (SP) – PSOL

Mandato do Vereador Matheus Gomes de Porto Alegre – PSOL

Mandato da Vereadora Iza Lourenço de Belo Horizonte – PSOL

Toninho Ferreira – presidente do PSTU de SJC e ex-advogado da ocupação do Pinheirinho

Plínio de Arruda Sampaio Jr. – PSOL

José Maria de Almeida – Presidente Nacional do PSTU

Vera Lúcia – ex-candidata à presidente pelo PSTU

Babá – ex- deputado federal e ex-vereador (RJ) – PSOL

Ernesto Gradella – ex-deputado Federal e ex-vereador (SJC) – PSTU

Centrais Sindicais e Federações

CSP-Conlutas (Central Sindical e Popular)

CTB (Central dos Trabalhadores do Brasil)

CSB (Centrais dos Sindicatos Brasileiros)

NCST (Nova Central Sindical de Trabalhadores – S.P)

Intersindical Instrumento de Luta

Intersindical – Central da Classe Trabalhadora

PÚBLICA Central do Servidor

FSDTM – MG (Federação Sindical Democrática dos Metalúrgicos de Minas Gerais)

Unidos para Lutar

Sindicatos

Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e região

Sindicato dos Químicos de São José dos Campos e região

Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Alimentos de São José dos Campos e região

Sindicato dos Petroleiros de São José dos Campos

Sindicato dos Servidores Municipais de São José dos Campos e região

SEAAC de São José dos Campos e Região

Sindicato dos Trabalhadores dos Correios do Vale do Paraíba

Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais de Jacareí

Sindicato dos Metalúrgicos de Campinas e região

Sindicato dos Metroviários de São Paulo

Sindicato dos Servidores e Trabalhadores em Saúde, Previdência e Assistência Social do Estado de São Paulo

SINDSEF (Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Federal do Estado de São Paulo)

SINTRAJUD (SP)

Sindicato dos Metalúrgicos de Pirapora (MG)

Sindicato dos Metalúrgicos de Itaúna (MG)

Sindicato dos Metalúrgicos de São João Del Rey (MG)

Sindicato dos Metalúrgicos de Itajubá e região (MG)

Sindicato dos trabalhadores Têxtil de São João Del Rey (MG)

SINDUTE São João Del Rey (MG)

Sindicato dos Trabalhadores em Educação Municipal de Belo Horizonte (MG)

Sindicato dos Trabalhadores em Serviços de Saúde Privada de Belo Horizonte (MG)

Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de Belém (PA)

Sindicato dos trabalhadores da saúde de Rio Grande do Norte (RN)

Sindicato dos Municipários de Bagé (RS)

Sindicato dos Consultores de Veículos de transporte Coletivo do Estado de Amapá (AP)

SISMMAR – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Maringá (PR)

SISEMJUN- Sind. dos Servidores Municipais de Juazeiro de Juazeiro do Norte

SINSERJ – Sind. dos Servidores Municipais de Jaguaruana

SINDJUSTIÇA Sind. dos Servidores do Poder Judiciário do Ceará

SINDGUARDA

SISEMJUN- Sind dos Servidores Guardas e Vigias de Iguatu

SINTRO – Sindicatos dos Motoristas do Ceará

SINDICONF – Sind. da Confecção Feminina

STICCRMF – Sind dos Trabalhadores da C. Civil de Fortaleza e Região

SINTUFC- Sind dos Servidores Federais Técnicos Administrativos da UFC

Oposições Sindicais

Oposição dos Trabalhadores dos Correios de Campinas (SP)

Oposição dos Municipários de Aparecida (SP)

Coletivo Reviravolta na Educação – Oposição APEOESP

Oposição Metalúrgica do Sul Fluminense (RJ)

Movimentos de luta por Terra e Moradia

Movimento Luta Popular

FNL (Frente Nacional de Lutas)

CMP (Central de Movimentos Populares)

Ocupação Esperança – Osasco (SP)

Ocupação Queixadas – Cajamar (SP)

Ocupação Jardim União – São Paulo (SP)

Ocupação Mimax – São Paulo (SP)

Ocupação Pinheiral – São Paulo (SP)

Ocupação Quilombo Coração Valente – Jacareí (SP)

Ocupação Dirceu Travesso – São José dos Campos (SP)

Ocupação Reflexo do Amanhã – Volta Redonda (RJ)

Associação de Moradores do Banhado – São José dos Campos (SP)

Associações, Coletivos, Organizações, Movimentos e Imprensa

ADMAP (Associação Democrática dos Aposentados e Pensionistas)

Pastoral Operária (SP)

Podcast “Mesa de Debates de Tudo um Pouco”

Web Rádio Censura Livre – São Gonçalo (RJ)

Web TV Mídia Crítica – Volta Redonda (RJ)

Unidade Classista Sul Fluminense (RJ)

Everton Rodrigues – Produtor do filme “Pinheirinho dos Palmares: A Luta Contra Injustiças”

Bloco de Carnaval Feminista Sô Fia da Vida (SJC)

Coletivo Negro Minervino de Oliveira

Movimento Quilombo Raça e Classe

Associação dos Remanescentes da Comunidade do Quilombo da Caçandoca – Ubatuba (SP)

Fórum de Lutas do Sul Fluminense (RJ)

Coletivo 9 de Novembro Centro de Referência e memória – Volta Redonda (RJ)

Muitas Mulheres Negras LBTS da Periferia – SJC (SP)

Comissão de Igualdade Racial da OAB – Pindamonhangaba (SP)

Centro de Defesa dos Direitos Humanos Pedro Lobo

Fórum de Resistência de Volta Redonda (RJ)

Coletivo Verdade sobre a Reforma de Volta Redonda (RJ)

Movimentos e Coletivos de Mulheres

MML (Movimento Mulheres em Luta)

Resistência Feminista

Coletivo Feminista Classista Ana Montenegro

Organizações e Coletivos de Juventude

Rebeldia

Afronte Juventude

Coletivo Juntos

Socialismo ou Barbárie Juventude Já Basta!

Artistas e grupos musicais

Gíria Vermelha – Grupo de Rap de São Luís (MA)

CAS (Coletivo de Artistas Socialistas)

José Rodrigues Mao Júnior (Mao) vocalista e fundador da banda “Garotos Podres”

Foto:Roosevelt Cássio

Instagram