Libido: um campo complexo e que pode ter relação com hormônios

Com o auxílio de um endocrinologista e exames laboratoriais é possível resgatar o prazer

A libido feminina é um assunto complexo e pode ser afetada por diversos fatores: sociais, econômicos, psicológicos, físicos e hormonais, entre eles, os hormônios tireoidianos, ovarianos e adrenais.

Libido feminina

Os sintomas da falta de libido vão depender de qual o hormônio está alterado. “Se for o estrogênio, que é o hormônio feminino, além da libido, a mulher pode ter os famosos fogachos, secura vaginal, perda de massa óssea. Se for o hormônio tireoidiano, pode ter sonolência, queda de cabelo, cansaço, discreto ganho de peso”, explica a Dra. Lorena Lima Amato, médica endocrinologista.

Reposição do hormônio

Segundo a especialista, o tratamento sempre é com base na reposição do hormônio que está em falta. “A terapia de reposição hormonal para o estrogênio, principalmente, na pós-menopausa, resgata a libido e apresenta ótimo resultados”, conta Dra. Lorena.

Além da questão hormonal, a mulher precisa ter uma boa relação com ela mesma e com o seu corpo, bom estado mental e físico e boa saúde para poder garantir uma libido satisfatória.

Sobre a Dra. Lorena Lima Amato – A especialista é endocrinologista pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), com título da Sociedade Brasileira de Endocrinologia (SBEM) e endocrinopediatra pela Sociedade Brasileira de Pediatria. É doutora pela USP e professora na Universidade Nove de Julho.

Dra. Lorena Lima Amato no Instagram: https://www.instagram.com/dra.lorenaendocrino/

Imagem de lounis production por Pixabay 

Instagram