Combate ao coronavírus deve ser mantido no carnaval com o distanciamento social

É essencial o uso de máscara, higienização das mãos e álcool em gel

Apesar da vacinação já ter iniciado nas cidades do Vale do Paraíba, cuidados como manter o distanciamento social, uso de máscara e álcool gel devem ser mantidos durante o Carnaval para evitar um novo pico de contaminações pela Covid-19.

Segundo a infectologista, Dra. Silvia Fonseca, diretora corporativa de infectologia do Sistema Hapvida, participar de festas, mesmo que particulares, blocos de rua e aglomerações de forma geral está totalmente fora de cogitação neste momento. “O grito de carnaval deste ano deve ser ‘xó corona’. Como o vírus continua por aí não devemos baixar a guarda, devemos curtir em casa, não viajar e se precisar sair para realizar alguma atividade essencial usar sempre a máscara e o álcool gel”, disse.

De acordo com a médica, é importante ressaltar que as máscaras devem cobrir o nariz e a boca, serem trocadas a cada 2 duas horas ou sempre que estiverem úmidas. Além disso, se precisar espirrar, jamais tire a máscara, pois ela deve justamente servir de barreira contra gotículas que podem se espalhar no ar. “Agora temos que ser mais espertos que o coronavírus, não podemos nos aglomerar neste momento”, conclui.

Sistema Hapvida

Com mais de 6,7 milhões de clientes, o Sistema Hapvida hoje se posiciona como um dos maiores sistemas de saúde suplementar do Brasil presente em todas as regiões do país, gerando emprego e renda para a sociedade. Fazem parte do Sistema as operadoras do Grupo São Francisco, RN Saúde, Medical, Grupo São José Saúde, além da operadora Hapvida e da healthtech Maida. Atua com mais de 36 mil colaboradores diretos envolvidos na operação, mais de 15 mil médicos e mais de 15 mil dentistas. Os números superlativos mostram o sucesso de uma estratégia baseada na gestão direta da operação e nos constantes investimentos: atualmente são 45 hospitais, 191 clínicas médicas, 46 prontos atendimentos, 175 centros de diagnóstico por imagem e coleta laboratorial.

Imagem de fernando zhiminaicela por Pixabay 

Instagram