Sem semicondutores, General Motors quer suspender 1.200 trabalhadores em São José dos Campos

A General Motors confirmou, nesta segunda-feira (25), que pretende suspender um turno da área de produção da S10, na planta de São José dos Campos. A medida pode levar à suspensão de contratos de até 1.200 trabalhadores, por meio de layoff, e é consequência da falta de semicondutores no mercado mundial.

A confirmação ocorreu em reunião com o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, filiado à CSP-Conlutas. Segundo a montadora, o período deve durar entre dois e cinco meses. O Sindicato realizará uma assembleia para discutir o tema com os trabalhadores, nesta terça-feira (26), na entrada do primeiro e segundo turnos, às 5h30 e 14h20, respectivamente. 

Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos

O Sindicato defende a adoção de estabilidade no emprego para todos os trabalhadores. Uma nova reunião acontecerá na quarta-feira (27), às 9h, quando a fábrica apresentará as condições e período do layoff. 

General Motors

A área de produção da caminhonete S10 possui dois turnos, num total de 2.200 trabalhadores. Ao todo, a fábrica de São José dos Campos possui cerca de 3.800 funcionários e também produz o modelo Trailblazer. 

“Para o Sindicato, qualquer medida tem de estar cercada de proteção ao emprego e aos direitos dos trabalhadores. Vamos levar essa discussão para a assembleia”, afirma o vice-presidente do Sindicato, Valmir Mariano.

Trabalhadores da GM, em São José dos Campos – Foto: Roosevelt Cássio

Instagram