Reformas podem reduzir ‘Custo Brasil’ em R$ 800 bilhões, promete braço direito de Paulo Guedes em reunião com o Desenvolve Vale

Secretário de Desenvolvimento da Indústria, Comércio, Serviços e Inovação, Jorge Luiz de Lima se reuniu com os conselheiros do grupo, a convite de Kiko Sawaya, e falou sobre caminhos para estimular a economia regional e nacional

Como um dos homens fortes do Ministério da Economia, o secretário de Desenvolvimento da Indústria, Comércio, Serviços e Inovação do governo federal, Jorge Luiz de Lima, quer deixar um legado de projetos estruturantes e de redução drástica do chamado “Custo Brasil” para as próximas gerações. 

Kiko Sawaya

Lima foi convidado pelo coordenador do Desenvolve Vale, Kiko Sawaya, para uma videoconferência com os conselheiros do grupo, nesta quinta-feira (18). Na pauta, as necessidades dos setores industrial, produtivo e de serviços da Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte, a RMVale, e os desafios para que a economia brasileira volte ao rumo do crescimento.

De acordo com o secretário, o país perde uma média de R$ 1,5 trilhão por ano em competitividade com o “Custo Brasil”. A meta do ministério é mexer nos gargalos dessa estrutura, como uma saída para a geração de empregos e uma agenda competitiva no mercado. 

“Eu nunca vi um país de primeiro mundo onde a economia esteja atrelada à política. Precisamos tirar o governo do cangote dos empresários. O país tem uma cultura de burocracia que precisa acabar. Isso não é questão de gostar ou não do governo. A economia é apartidária. A gente precisa gerar empregos, tirar os 38 milhões de brasileiros da informalidade”, afirmou Lima. 

Engenheiro mecânico por formação, Lima fez sua carreira toda no ambiente corporativo. Ele atuou como CEO em uma extensa lista de multinacionais, incluindo a JSL Logística e a BRF. 

“Eu sei exatamente o que vocês, empreendedores, passam, pois em minha vida toda eu estive desse lado do balcão. O governo precisa conhecer melhor o setor produtivo, e os empresários, por sua vez, têm o direito de estar por dentro dos projetos do governo federal. O setor produtivo tem que participar”, disse.

Propostas

O programa para a redução do “Custo Brasil” reúne uma série de projetos do Ministério da Economia que, na ponta final, diminuem os encargos para o setor produtivo do país. Alguns exemplos citados pelo secretário são a redução da taxa básica de juros, a Lei da Liberdade Econômica, a Reforma da Previdência e o Programa Pró-Segurança Jurídica, entre outros. 

‘Custo Brasil’

“O programa já teve um impacto mensurável no ‘Custo Brasil’ de R$ 47 bilhões. Nossa estimativa é que até o fim do mandato, em 2022, sejam R$ 191,3 bilhões de impacto na economia. Isso é esforço em diminuir a máquina pública para enxugar os gastos”, afirmou Lima. 

Com a eleição, em fevereiro, de Arthur Lira (PP-AL) para a presidência da Câmara dos Deputados, e de Rodrigo Pacheco (DEM-MG) para presidente do Senado, o esperado é acelerar a aprovação dos projetos enviados pelo governo ao Congresso. 

“Estamos convictos de que as reformas estruturais que o Brasil tanto precisa ganharão fôlego com essa mudança no Congresso. Podemos chegar aos R$ 800 bilhões de impacto no ‘Custo Brasil’ com a implementação dessas mudanças, junto às privatizações e marcos regulatórios como do setor elétrico e do saneamento básico.”

Motivação

Para Kiko Sawaya, o encontro é uma motivação a mais para o setor produtivo, que vê no Ministério da Economia uma equipe capaz de compreender as demandas dos empresários. 

“Vemos que há uma preocupação em criar uma agenda competitiva, com menos burocracia e mais empregabilidade. Precisamos ter nossa voz representada no governo, afinal, somos uma classe que quer evoluir com o país, quer gerar empregos e trazer desenvolvimento”, afirmou.

Logo após o encontro on-line com o Desenvolve Vale, de pouco mais de uma hora, o secretário partiu para uma reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido). 

Ao longo das próximas semanas, Lima vai estreitar a relação com os conselheiros do Desenvolve Vale, a fim de ouvir demandas que possam ser consideradas na pauta econômica do país. Em abril, ele espera se reencontrar com o grupo, em reunião presencial, em São José dos Campos.

Desenvolve Vale

O Desenvolve Vale é uma plataforma de negócios voltada ao desenvolvimento sustentável da Região Metropolitana do Vale do Paraíba. Tem como conselheiros algumas das principais lideranças empresariais com atuação na região, dos mais variados setores, que colaboram na organização e execução de uma agenda voltada aos interesses econômicos da comunidade da RMVale. O Desenvolve Vale tem como missão promover relações empresariais e valorizar a importância dos setores produtivo, industrial e de serviços no desenvolvimento sustentável das cidades, sempre defendendo a ética, os princípios democráticos e a eficiência na gestão pública e privada. O Desenvolve Vale é presidido por Kiko Sawaya.

Kiko Sawaya
Kiko Sawaya-Foto: Divulgação
Instagram