TAUBATEANOS PARTICIPAM DE ENTREVISTA COLETIVA APÓS RETORNO VITORIOSO DOS JOGOS PARALÍMPICOS DE TÓQUIO

Alessandro da Silva, Michel Gustavo e o técnico Guto Nascimento falaram aos jornalistas sobre as conquistas, experiências e lições que os Jogos Paralímpicos em solo japonês deixaram em suas carreiras

Aconteceu na tarde desta segunda-feira, 06/09, uma entrevista coletiva onde a imprensa de Taubaté e região do Vale do Paraíba (SP) pôde conversar pela primeira vez com o Bicampeão Paralímpico no Lançamento de Disco (classe F11) e medalhista de Prata no Arremesso de Peso, Alessandro da Silva.

Também estiveram na coletiva o técnico Guto Nascimento, que compôs a comissão técnica do Paratletismo brasileiro nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, e o paratleta Michel Gustavo, 9º colocado na final do Salto em Distância (classe T46).

Também compuseram a mesa e falaram com os jornalistas o Secretário de Esportes e Lazer de Taubaté, Lucas Dominoni, e o Coordenador de Alto Rendimento do Programa Esporte Para Todos, o também paratleta André Rocha.

A entrevista coletiva marcou o retorno dos taubateanos que estiveram nos Jogos Paralímpicos de Tóquio e serviu para fazer um balanço de encerramento do chamado “ciclo paralímpico”, que se iniciou em 2017, no ano pós-jogos Rio 2016.

Foto:Ronaldo Casarin/Programa EPT

Alessandro da Silva

O primeiro a falar com os jornalistas foi o Bicampeão do Lançamento de Disco, Alessandro da Silva. O “Gigante”, apelido que ganhou devido tanto às muitas conquistas no Atletismo Paralímpico, quanto ao tamanho mesmo, era só alegria e comentou sobre a emoção de retornar do Japão com duas medalhas na bagagem.

“A sensação de estar na Paralimpíada, representando seu país, é de imensa alegria. E ouvir o hino e ser o responsável pela bandeira estar no lugar mais alto do pódio, é uma emoção inexplicável.  Fiz o meu melhor em Tóquio, tanto no Disco, quanto no Arremesso de Peso, onde trouxe a Prata, e fui presenteado com essas medalhas. É de grande orgulho para mim e para todos os brasileiros, pois sei que tem muita gente que torceu por mim e pelo Brasil. Fico muito feliz de ter podido fazer parte da história paralímpica mais uma vez”, comentou Alessandro, que esteve em sua segunda Paralimpíada seguida.

Michel Gustavo

Já o estreante Michel Gustavo, que terminou com a 9ª posição no Salto em Distância, destacou a sensação da estreia Paralímpica. “Valeu a pena todo esforço para estar nos Jogos, muito pela magnitude do evento como um todo. É o objetivo de todo atleta, e comigo não era diferente. Trouxe muita experiência, tanto observando e tendo contato direto com atletas mais experientes, trouxe a vivência de uma final Paralímpica e fiquei contente com a minha capacidade de administrar a pressão de uma prova valendo medalha. Não foi o resultado que eu gostaria de ter trazido de lá, mas o meu espírito competitivo me faz querer mais. Superei lesões, corri contra o tempo para estar bem em Tóquio, e encarei uma final de altíssimo nível. Meus adversários eram os melhores do mundo. O que fica dessa passagem é a vontade de continuar treinando muito e estar em Paris, em 2024.”, disse o saltador.

Técnico Guto Nascimento

O técnico Guto Nascimento, que pela primeira vez esteve em uma edição de Jogos Paralímpicos, destacou a sensação de dever cumprido após o retorno de Tóquio com as medalhas do Alessandro, e com o bom rendimento do paratletismo brasileiro nos Jogos.

“Nós temos trabalhado com os meninos há muitos anos, desde 2018 eles estão 100% focados nos Jogos de Tóquio desde então. No caso do Alessandro, ter voltado com as duas medalhas, sem dúvidas fecha o ciclo de forma mais que vitoriosa. Ele se dedicou muito nesses anos, o dia a dia do atleta de alto rendimento é duríssimo. O Michel é um atleta que é jovem, mas com boa experiência em outras competições internacionais. Então está de parabéns pela garra em superar as adversidades nesse ciclo e ter disputado a final do Salto. Seguimos trabalhando e em busca de cada vez mais. Esses atletas merecem todos os nossos aplausos”, fechou o treinador do Programa Esporte Para Todos e da Seleção Brasileira de Paratletismo.

Michel e Alessandro terão alguns dias de folga, e retomam os treinos ainda no mês de setembro. Ambos devem competir ainda em 2021, em torneio nacional que o Comitê Paralímpico Brasileiro vai promover no último trimestre.

Programa Esporte Para Todo

Sobre o Programa Esporte Para Todos: O Programa Esporte Para Todos é o projeto que congrega toda a prática esportiva destinada à pessoas com deficiência em Taubaté. O programa tem como principal mantenedor a Prefeitura de Taubaté, por meio da Secretaria de Esportes e Lazer, sendo hoje uma das equipes com melhor estrutura em todo o Brasil.

A equipe do Programa Esporte Para Todos conta com equipe de alto rendimento, e atendimento social e prática esportiva para pessoas com deficiência. As modalidades que fazem parte do Esporte Para Todos são: Atletismo, Natação, Halterofilismo, Bocha, Basquete em Cadeira de Rodas, Tênis de Mesa, Goalball, Thriatlon, Ciclismo, Badminton e Tiro Esportivo.

Mais informações: www.programaepttaubate.com.br

Foto:Ronaldo Casarin/Programa EPT
Instagram