Ser mais sustentável é possível adotando novos hábitos na rotina

Veja alguns exemplos simples que podem ser empregados no dia a dia, que vão desde reutilização até economia de recursos finitos 

Durante o início da pandemia, a redução do impacto da ação humana no meio ambiente foi muito noticiada, e surgiram várias reportagens sobre os benefícios do isolamento social para os outros habitantes do planeta, como águas mais limpas em pontos turísticos como o canal de Veneza e redução da emissão de carbono em locais muito industrializados. O Himalaia, na Índia, pela primeira vez em 40 anos, pode ser visto. Já em São Paulo estudos revelaram que a poluição do ar diminuiu quase 50% com as restrições de mobilidade. 

Estes acontecimentos despertaram a consciência de muitas pessoas para o cuidado com o ecossistema em que estamos inseridos, fazendo com que elas procurem alternativas mais verdes, mesmo com pequenos passos.  

As mudanças podem começar por pequenas substituições no cotidiano. Na cozinha, por exemplo, é possível trocar a habitual esponja verde e amarela – feita de plástico e que demora centenas de anos para se decompor no meio ambiente – por uma bucha vegetal, que é biodegradável. Ainda na cozinha, também é possível reduzir o consumo de plástico, substituindo o uso de plástico-filme por panos encerados com cera de abelha, que podem ser lavados depois do uso e reutilizados. 

Substituir lâmpadas incandescentes por lâmpadas de LED, além de reduzir o consumo de energia, também evita o descarte de metais pesados no meio ambiente quando a lâmpada perde sua vida útil. 

É possível substituir itens em outros ambientes da casa. Dar uma chance para a escova de dentes feita de bambu também pode ser uma ótima iniciativa. As escovas tradicionais podem levar até 600 anos para se decompor. Ou seja, mesmo depois de 100 anos, a sua primeira escova de dentes pode estar em algum lugar por aí. 

Fora de casa, nos dias de compras, substituir as sacolas plásticas pela já conhecida ecobag reduz bastante o consumo de plástico. Se a pessoa tem o costume de comprar em feiras ou em casas de grão a granel, também é possível trocar as embalagens plásticas por sacolinhas de tecido reutilizáveis. 

No mercado, é importante observar o rótulo dos produtos, se atentando ao local de produção e comprando os produtos que são feitos mais perto de você, o que também é um ato sustentável, pois, quanto mais distante, mais embalagens e mais combustível foram usados para o transporte da mercadoria.  

Todas essas mudanças são pequenas, mas podem ser muito significativas. O Brasil recicla apenas 17,5% do plástico rígido que é descartado. O restante é descartado nos lixões e pode demorar quase 400 anos para se degradar. 

Foto:istock

Instagram