Opções de investimentos a longo prazo

Você sabe quais são os investimentos de longo prazo disponíveis no mercado? Conheça os principais.

Os investimentos a longo prazo são uma forma muito eficiente de proteger o seu patrimônio, uma vez que o rendimento de alguns ativos varia muito com o passar do tempo. Além disso, os juros compostos ajudam a aumentar o que você ganha com as aplicações realizadas.

Podem existir momentos de baixa? É claro que sim! No entanto, nesse momento é importante manter a calma e não realizar o resgate, pois os ativos também passam por períodos de alta e isso faz com que você ganhe no longo prazo — tendo em vista que essas altas compensarão as perdas e aumentarão o seu retorno financeiro.

Separamos, neste artigo, as principais opções de investimentos a longo prazo que você precisa conhecer e analisar para realizar as  suas futuras aplicações. Confira!

LCI e LCA

As Letras de Crédito Imobiliário ou do Agronegócio são investimentos de renda fixa.  Ambos são emitidos por bancos para financiar o mercado de agronegócio e de imóveis. A rentabilidade desses tipos de investimentos pode ser atrelada a uma porcentagem do IPCA ou CDI.

Há também a possibilidade de o seu rendimento ser pós-fixado (quando a taxa é definida no momento do resgate) ou pré-fixado (quando a taxa é definida no momento da aplicação)

Uma das principais vantagens das LCI e LCA é que não há incidência de Imposto de Renda sobre os seus ganhos, o que torna o retorno financeiro ainda mais atrativo. Vale destacar que o prazo de vencimento desses títulos gira em torno de até 5 anos.

Fundos DI

Os Fundos DI nada mais são que Fundos de Renda Fixa. Normalmente usados para ajudar os investidores a montar sua reserva de emergência, esse ativo exige que pelo menos 80% do seu patrimônio seja direcionado a essa aplicação.

O objetivo desse tipo de investimento é acompanhar ou superar a taxa do CDI. Dessa maneira, sempre que você precisar recuperar o dinheiro investido, pode realizar o resgate da cota no fundo.

Fundos de Ações

Os Fundos de Ações são investimentos de Renda Variável, ou seja, são destinados a investidores que não têm medo de arriscar. O objetivo dessa aplicação é superar algum benchmark do mercado, como o Ibovespa, porém, é importante deixar claro que podem existir outros índices como parâmetro.

Embora o risco dessa operação seja grande, o potencial de ganhos é muito maior quando comparado aos investimentos de Renda Fixa.

CDB

O CDB (Certificado de Depósito Bancário) é usado para auxiliar os bancos na captação de recursos para que possam emprestar dinheiro a outras pessoas. Nesse sentido, ao investir em CDB, é você quem empresta o seu dinheiro à instituição financeira. O rendimento desses Certificados pode ser pré ou pós-fixado, atrelado ao CDI ou IPCA.

O maior risco ligado ao CDB é o fato de a instituição financeira falir e, devido a isso, não ter dinheiro o suficiente para lhe ressarcir. Para evitar esse problema, existe o FGC (Fundo Garantidor de Crédito), que garante aos investidores o direito de receber até R$ 250.000,00 (em caso de falência do banco), de acordo com o valor investido, é claro.

Tesouro Direto

Para quem busca oportunidades mais acessíveis e com retorno superior à poupança, o Tesouro Direto é uma ótima alternativa. O valor mínimo aplicável é de R$30,00 e sua compra é garantida pelo Tesouro Nacional.

Vale destacar que, apesar de seu rendimento ser superior frente à poupança, esse ativo apresenta problemas de liquidez e, se resgatado antes da data acordada, haverá redução de sua remuneração.

As opções de investimentos a longo prazo são muitas, mas antes de tomar a sua decisão, é importante que você identifique qual é o seu perfil de investidor, a fim de entender quais riscos está disposto a enfrentar. Isso é importante porque, em investimentos de longo prazo, não é recomendada a realização do resgate antes do prazo determinado pelo fundo para não prejudicar a sua rentabilidade.

Instagram