Quais as principais taxas cobradas pelas corretoras de valores

Uma corretora pode ajudar o potencial investidor a escolher os melhores produtos, mas seus serviços têm um preço; conheça as principais taxas cobradas

Para quem está começando a investir, procurar por uma corretora de valores é uma boa escolha. Ela ajuda a entender qual o perfil de investimento de cada pessoa, além de mostrar os principais produtos para ela. No entanto, esse processo tem um custo, que costuma vir em formato de taxas.

Cada corretora tem sua forma de trabalhar, mas algumas taxas costumam aparecer com mais frequência. Na hora de fazer uma pesquisa, veja quais cobranças costumam ser feitas pelas corretoras:

Taxa de performance

É uma espécie de “prêmio” para a corretora quando o investimento rende acima do índice de referência (benchmark). Por exemplo: se um determinado investimento rende seguindo a Selic. Quando os rendimentos superam esse benchmark, a corretora pode cobrar essa taxa.

Um detalhe importante é que a taxa de performance só pode ser cobrada a cada seis meses ou mais. Além disso, apenas para fundos de investimentos de gestão ativa, cuja meta é justamente superar a rentabilidade registrada pelo benchmark. Alguns exemplos são os fundos de ações, multimercados e cambiais.

Taxa de corretagem

É um valor que pode ser cobrado pela corretora por cada operação feita dentro do mercado de renda variável, ou seja, na bolsa de valores. Cada vez que uma pessoa faz a compra ou a venda de uma ação, paga uma taxa de corretagem à intermediária dessa negociação.

O tipo de taxa de corretagem varia em cada corretora. Há quem cobre corretagem zero (sem taxa), fixa (que não muda conforme o valor movimentado), variável (muda de acordo com o valor movimentado), valor fixo mais uma porcentagem (valor imutável mais uma porcentagem que varia conforme o total aplicado e a operação realizada).

É muito importante conferir a taxa de corretagem antes de escolher a corretora. Quanto mais alto o valor, menor o ganho.

Taxa de administração

A mais comum para os fundos de investimento, a taxa de administração é aquela paga por todos os cotistas pelo trabalho dos gestores. Quando um investidor não sabe por onde começar, alguém (o gestor) faz isso por ele.

A corretora cria um fundo, faz o aporte inicial e disponibiliza cotas para os interessados. Todo o dinheiro investido pelos cotistas fica sob a custódia do gestor de fundos, que escolhe os melhores produtos e administra o dinheiro da melhor maneira possível.

Enquanto a taxa de corretagem é cobrada apenas em alguns casos, a taxa de administração é padrão.

Taxa de custódia

É uma tarifa paga pelo investidor para que o registro do investimento seja feito pela  Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC). Ela incide sobre diferentes investimentos, mas é mais comum em ações, ETFs e títulos públicos. Algumas corretoras optam por não repassar esse valor aos clientes. A principal custodiante no Brasil é a B3.

Taxa de entrada e saída

É a taxa cobrada pelos aportes e resgates feitos antes de um prazo determinado pelos fundos de investimentos e planos de previdência privada.

A taxa de entrada ocorre nos momentos em que o investidor realiza novos depósitos no fundo, mas não costuma ser cobrada em fundos do Brasil. Já a taxa de saída é cobrada quando um investimento é resgatado antes do prazo combinado.

Emolumentos

Também chamados de taxas de ação, são cobranças feitas pela B3 para cobrir os custos operacionais de transações feitas no mercado de ações e no mercado futuro.

O preço varia conforme o valor do investimento, o tipo de operação (normal ou day trade) e tipo de investidor (pessoa física ou fundo de investimento).

Os emolumentos cobrem o registro, a catalogação e a guarda de informações reais sobre cada operação.

Taxa de carregamento

É uma taxa cobrada em movimentações feitas nos fundos de previdência privada do tipo PGBL e VGBL. É preciso observar a cobrança dessa taxa, pois ela pega uma parte do valor antes mesmo que o dinheiro entre e comece a render. Algumas corretoras oferecem uma taxa regressiva ou não cobram a taxa de carregamento.

Instagram