Novidades para cidades inteligentes no Smart City Business

O mais estratégico evento sobre cidades inteligentes do país volta a reunir empresas, startups, especialistas e representantes do poder público para gerar um diálogo propositivo sobre as grandes questões que desafiam a consolidação de um ecossistema robusto e autossuficiente no país. A 9ª edição do Smart City Business Brazil Congress 2022 realizará sessões plenárias, painéis e reuniões estratégicas, com foco no trabalho colaborativo, a troca de ideias, visões e soluções transformadoras para consolidar a infraestrutura digital das cidades brasileiras.

9ª edição do Smart City Business Brazil Congress 2022

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, estará presente amanhã a partir 14h00 e participará do painel “Como as empresas e o governo podem trabalhar juntas para o desenvolvimento do 5G no Brasil?”, a conversa será coordenada pelo Diretor da Futurion Análise Empresarial e Ex-presidente da Telebras, Caio Bonilha; e contará com a presença do CEO da Nokia para o Brasil, Aílton Santos; CEO da American Tower do Brasil. Emerson Hugues; o Presidente da ABDI – Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, Igor Calvet; e o Presidente da CAF Brasil, Renato Meirelles.

Algumas novidades:

Hexagon

A Hexagon  apresenta uma solução que em casos como Capitólio, por exemplo, a tecnologia poderia ter enviado alertas e evitado grandes incidentes e impactos.uma plataforma de serviço de geoinformação automática baseada em nuvem projetada para fornecer dados novos e preciso de satélite, além de informações sobre nosso mundo em mudança. A análise preditiva da Rheticus capacita os colaboradores a serem proativos sobre ameaças a pessoas, propriedades e ativos. A superfície da Terra é monitorada continuamente, e os usuários podem receber alertas sobre fenômenos de subsidência e outras ocorrências em suas áreas de interesse.

SmartAcqua

SmartAcqua permite ao cidadão comum, de qualquer região do Brasil, verificar o volume de água retirado dos mananciais hídricos de sua cidade, quanto desse total é bem utilizado e quais os benefícios que poderiam ser alcançados se fossem tomadas ações corretivas pelos gestores públicos e privados da área de saneamento. O Brasil desperdiça, em média, 50% de sua água. Por ano, são extraídos dos mananciais hídricos do País, de acordo com dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) de 2018, mais de 16 bilhões de metros cúbicos. Ou seja, 8 bilhões de metros cúbicos vão para o ralo a cada ano. Vazamentos, fraudes, equipamentos e tecnologias obsoletas, consumos não autorizados são algumas das causas da perda desse bem. As análises desses dados fizeram com que Enéas Ripoli desenvolvesse um software de gestão da água e combate ao desperdício. Ele é direcionado às empresas de saneamento básico, mas recebeu uma versão em aplicativo (Android, iOS), gratuito, para o uso de profissionais em campo, mas também para consumidores que queiram ter uma ideia do desperdício em sua cidade e cobrar das autoridades ações para reduzir os danos.

Florestana

Florestana – Juntamente com a Anton, a empresa apresentará o GeoArbor – Sistema de Monitoramento Arbóreo, para ser aplicado principalmente no controle da conservação e manutenção. O sistema é composto pelos módulos Cadastramento, Análise e Coleta de dados dos indivíduos arbóreos com a sua localização georreferenciada. A iniciativa inclui ainda a possibilidade de colocar um QRCode em cada indivíduo arbóreo, o que possibilita consulta por um cidadão, através de um aparelho celular, dos dados daquele indivíduo arbóreo, bem como, os dados de sua espécie.

Modulus One

Modulus One – A empresa apresenta soluções para gestão online de ativos urbanos e equipamentos públicos através de tecnologia IoT e a possibilidade de gerar receitas acessórias através da malha de conectividade da iluminação pública. A empresa destaca o One Energy Meter, para o monitoramento da qualidade de energia elétrica fornecida pela rede, gerando insights de manutenção preditiva; One Lumen, sistema de iluminação pública inteligente com controle e monitoramento por telegestão; e One Virtual Instruments, virtualização de qualquer variável de processo ou dados que alertam sobre irregularidades em tempo real.

Imagem de Tumisu, please consider ☕ Thank you! 🤗 por Pixabay

Instagram