Festival Internacional FEMUSC reúne grandes nomes da música erudita

A Semana de Arte Moderna e o bicentenário da Independência serão os destaques da 17ª edição do Festival Internacional FEMUSC, que acontece de 16 a 29 de janeiro, em Jaraguá do Sul, Santa Catarina. O evento, que retorna ao formato presencial, com respeito às normas sanitárias de combate à Covid-19, terá 46 apresentações abertas ao público no Auditório do Centro Cultural SCAR. Todos as principais apresentações serão transmitidas ao vivo, em alta definição, pelo Canal do YouTube do Festival: https://www.youtube.com/user/institutofemusc.

A programação do FEMUSC 2022, focada nas datas históricas brasileiras, contará com apresentações, por exemplo, do Hino da Independência do Brasil com canto acompanhado apenas pelo cravo como instrumento musical, em referência às apresentações do século 17. Já em relação à Semana de Arte Moderna, o evento vai homenagear personagens da música brasileira como Pixinguinha, Ernesto Nazaré e Chiquinha Gonzaga, que se destacaram na época com a aproximação da proposta do Modernismo brasileiro.

“Nossa programação é extensa e é fundamental que os músicos, principalmente os estrangeiros, vivam nossa brasilidade. O festival vai muito além das apresentações. Ele reforça nosso orgulho de ser quem realmente somos”, diz o maestro Alex Klein, um dos principais oboístas da atualidade, ganhador do “Grammy” na música erudita e idealizador do FEMUSC.

O Festival, que reúne músicos profissionais e amadores do Brasil e exterior, terá também dois programas de estudo: Música Popular Brasileira e Música Antiga, essa última vai apresentar obras dos períodos barroco, clássico e colonial, com instrumentos da época.

Espetáculos de alto nível artístico

Diariamente, o público poderá prestigiar diferentes apresentações divididas em quatro séries: shows de música popular (Série MPB), concertos de música barroca, clássica e colonial (Série Música Antiga), concertos orquestrais, óperas e música de câmara (Série Grandes Concertos), além de palestras informativas (Série Musicalmente Falando).

Na programação, além das comemorações do bicentenário da Independência e da Semana da Arte Moderna, estarão presentes obras de mestres da música erudita como W. A. Mozart, Antonio Vivaldi, Johann Sebastian Bach e grandes nomes da MPB como Djavan, Chico Buarque, Edu Lobo, Flavio Venturini e Dominguinhos.

Unindo gerações

O FEMUSC é considerado o maior festival-escola não competitivo do País, e que atrai músicos iniciantes e profissionais de diversos estados brasileiros e do exterior. Durante 14 dias, os participantes aprendem e trocam experiências com músicos e professores das mais renomadas orquestras e instituições de educação musical do mundo. Entre os destaques já confirmados para esta edição estão Jane Duboc, uma das grandes vozes da MPB, Marc Destrubé, do violino barroco, a cravista Béatrice Martin, que tocou na abertura da nova Filarmonie de Paris, e Fernando Cordella, um dos principais cravistas de sua geração na América Latina. Ao final , profissionais e estudantes se apresentam juntos em espetáculos de alto nível artístico internacional.
Desde cedo, as crianças são estimuladas a ter contato com diferentes instrumentos musicais – Foto: Chan

Femusckinho

Aprender boa música não tem idade, por isso, paralelamente ao  Festival Internacional FEMUSC, acontece o Femusckinho, voltado para o público infanto-juvenil. O objetivo é despertar o interesse pela música erudita em crianças de 6 a 12 anos e adolescentes de 12 a 17 anos. São oferecidas aulas de canto coral, percussão corporal e violino. Em duas semanas, mesmo as crianças sem nenhum conhecimento musical, apresentam seu primeiro concerto como participante de orquestra.

Segurança

Para garantir a segurança, o Festival Internacional FEMUSC 2022 mantém os Protocolo de Segurança Sanitária, com uso obrigatório de máscaras e distanciamento social em um plano de contingência aplicado durante o festival.

O Festival Internacional FEMUSC é uma realização da Associação Cultural do Forte São João, do Instituto FEMUSC e da Prefeitura Municipal de Jaraguá do Sul por meio da Lei de Incentivo à Cultura do Ministério do Turismo – Secretaria Especial de Cultura.

A turística cidade de Jaraguá do Sul

Nem só de música vive a cidade de Jaraguá do Sul, em Santa Catarina.  Em 2010, Jaraguá do Sul foi classificada como a 8ª cidade com maior IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) do estado e 34ª posição no ranking nacional.

Conhecida como Capital Nacional das Malhas e turismo ecológico, a cidade é uma ótima opção de turismo para quem procura natureza exuberante, boa gastronomia, ótima infraestrutura hoteleira e uma população acolhedora.

Colonizada por imigrantes europeus, especialmente alemães, italianos e húngaros, a cidade ainda conserva muitas tradições de seus antepassados, incluindo a arquitetura e festas típicas. Muitos são os passeios pela região, entre eles, o Parque Malwee, com área de 1,5 milhão de m² de área preservada, 17 lagoas e 133 espécies de aves catalogadas, museus e uma casa no estilo enxaimel, construída em 1938.

17ª edição do Festival Internacional FEMUSC

De 16 a 29 de janeiro de 2022

Local :Auditório do Centro Cultural SCAR

Transmissão ao vivo para todo o Brasil: https://www.youtube.com/user/institutofemusc

Informações: festival@femusc.com.br

 Acesse e curta o FEMUSC o ano inteiro:

Facebook: https://www.facebook.com/groups/femusc

Instagran: https://www.instagram.com/femusc/

YouTube :https://www.youtube.com/user/institutofemusc

Flickr :https://www.flickr.com/photos/femusc

Site: https://www.femusc.com.br/

Programação “Série Grandes Concertos

Principais atrações:

18/1, evento dedicado à poesia e música da “Décima Musa”, Sor Juana Inés de laCruz

22/1, Show de Música Popular Brasileira

27/1, Hanacpachapcussicuinin, de Juan Pérez de Bocanegra, Hanacpachapcussicuinin (cantado em quechua)

28/1, ópera “As Bodas de Fígaro” de Wolfgang Amadeus Mozart

Principais Séries de Concertos:

Série MPB: shows de música popular com professores e participantes, diariamente, às 18h30, no Grande Auditório do Centro Cultural SCAR.

Série Música Antiga: concertos de música barroca, clássica e colonial com professores e participantes, diariamente, às 19h, no Pequeno Auditório do Centro Cultural SCAR

Série Musicalmente Falando: palestras informativas, diariamente, às 20h, no Grande Auditório do Centro Cultural SCAR.

Série Grandes Concertos: concertos orquestrais, óperas e música de câmara, diariamente, às 20h30, no Grande Auditório do Centro Cultural SCAR

Série Grandes Concertos

Domingo, 16 de janeiro – Concerto de Abertura

Francisco Manuel da Silva, Hino Nacional Brasileiro D. Pedro I, Hino da Independência

Show de MPB com obras de Djavan, Chico Buarque, Edu Lobo, Flavio Venturini e Dominguinhos. Além de AstorPiazzolla

Segunda-feira, 17 de janeiro – Concerto das Nações

Obras coloniais, populares, tradicionais provenientes das culturas representadas no festival.

Terça-feira, 18 de janeiro – A Décima Musa

Concerto dedicado à poesia e música centrada em Sor Juana Inés de la Cruz

Andrés Flores, A este Edifício Celebre

José de Loaysa y Agurto, AquellaHermosaNube

Antonio Durán de la Mota, Dios y José

Sor Juana de la Cruz, Madre de los primores

Antonio Durán de la Mota, Fuego, Fuego

Quarta-feira, 19 de janeiro – Música de Câmara I

Programa a ser anunciado

Quinta-feira, 20 de janeiro – Música de Câmara II

W. A. Mozart, Quinteto para Clarinete e Cordas, K 581

Angeliza Meza, clarinete

CramerStringQuartet

Jessica Park e Chiara FasaniStauffer, violinos

KeatsDieffenbach, viola

Ana Kim, violoncelo

Sexta-feira, 21 de janeiro – Orquestra Barroca

Jean-Philippe Rameau, “LesSauvages”

Antonio Vivaldi, Concerto Grosso em Sol menor

Johann Sebastian Bach, Concerto de Brandemburgo n. 1

Orquestra Barroca do FEMUSC

Ricardo Kanji, direção

Sábado, 22 de janeiro – Show de MPB

Programa a ser anunciado

Segunda-feira, 24 de janeiro – Raízes

José Maurício Nunes Garcia, Abertura em Ré

José Maurício Nunes Garcia, Abertura Zemira

José Maurício Nunes Garcia, Missa de Nossa Senhora da Conceição (trechos)

Orquestra Colonial do FEMUSC

Ricardo Kanji, direção

Raízes da Música Popular

Priscila Brigante, direção

Terça-feira, 25 de janeiro – Família Bach

Johann Sebastian Bach, Concerto de Brandemburgo n. 4

Wilhelm Friedmann Bach, Adagio e Fuga

Carl-Philip Emannuel Bach, Sinfonia

Johann Sebastian Bach, Concerto de Brandemburgo n. 5

Marc Destrubé, violino barroco

Ricardo Kanji, traverso

Béatrice Martin, cravo

Orquestra Barroca do FEMUSC

Quarta-feira, 26 de janeiro – Mozart e Amigos

EineKleineNachtmusik

CramerStringQuartet

Jessica Park e Chiara FasaniStauffer, violinos

KeatsDieffenbach, viola

Ana Kim, violoncelo

Shanti Nachtergaele, violone

Quinta-feira, 27 de janeiro – Concerto de Gala

Johann Sebastian Bach, Concerto de Brandemburgo n. 3

Orquestra Barroca do FEMUSC

Ricardo Kanji, direção

Quechua, Hanacpachapcussicuinin

W.A. Mozart, Abertura da ópera “As Bodas de Fígaro”

W.A. Mozart, Sinfonia n. 40 (MoltoAllegro)

Orquestra Clássica do FEMUSC

Ricardo Kanji, direção

Femusckinho, apresentação

Show de MPB

Sexta-feira, 28 de janeiro – Noite de Ópera

W.A. Mozart, “As Bodas de Fígaro”

Raquel Winnica Young, Diretora de Cena

Ricardo Kanji, Direção Musical

Orquestra Clássica do FEMUSC

Sábado, 29 de janeiro – Concerto de Encerramento

J.S. Bach, Cantata n. 140, “Wachetauf”

Orquestra e Coro Barroco do FEMUSC

Ricardo Kanji, direção

Tom Jobim/Vinícius de Moraes, “Chega de Saudade”

Orquestra Barroca do FEMUSC

Marcelo Ghelfi, direção

Profissionais que já atuam nas melhores orquestras e iniciantes se apresentam em grandes espetáculos. Foto:Cesar Castro
Instagram