Em março, celebra-se o Dia Nacional da Música Clássica: conheça a evolução do gênero

Influências continuam até hoje, incluindo música pop

Na música, o estilo clássico é popularmente associado à refinamento, inteligência e erroneamente entendido como algo difícil de se ouvir, como se as pessoas que apreciam música clássica tivessem algum tipo de dom superior.

Celebrado no dia 5 de março, o Dia Nacional da Música Clássica é uma ótima oportunidade para quebrar essa ideia já antiquada de que existe um jeito certo de ouvir o estilo.

Entenda como ele se tornou algo tão importante e como ele influencia o tipo de música que você ouve, até mesmo, na balada.

O início de tudo

Surgido no século XVIII, o estilo que chamamos de clássico é associado à compositores-músicos como Mozart e Beethoven. Você, com certeza, já ouviu falar deles não é mesmo?

A função da música nesse período era entreter a elite, em jantares e eventos sociais – o que hoje em dia chamamos de música lounge.

Músicos como Mozart começaram a ganhar fama popularmente, e para aprimorar a sonoridade do que era tocado, foram acrescentando mais e mais instrumentos, até surgirem as orquestras, onde tudo acontece em função de criar uma harmonia, mexendo com as emoções de quem ouve a música.

Embora o estilo clássico passou a  ser definido assim no início no século XVIII, ele tem presença na sociedade a mais tempo, passando por cantos seculares e culturas já extintas, onde a música também tinha função social.

Estrutura básica

A música clássica como conhecemos, dos concertos e óperas, é definida pela partitura. Foi a maneira criada pelos compositores para organizar ”ao mesmo tempo” a complexidade dos instrumentos, das vozes e dos tempos que uma música desse estilo necessita.

A partitura, aliás, é um método bastante pragmático desenvolvido no ocidente.

Música oriental

Se você já ouviu alguma música antiga japonesa ou indiana, com certeza percebeu alguma estranheza na sonoridade delas. Em boa parte compostas para cerimônias, cultos ou celebrações sociais, elas funcionam em uma escala mais complexa do que a trabalhada no ocidente.

O canto árabe é um perfeito exemplo de como essa improvisação funciona.

Música ocidental

Já na música ocidental, a escala musical que conhecemos (dó, ré, mi…) foi composta para permitir uma vasta combinação de sonoridades, mas que conseguisse ser executada pelos instrumentos utilizados nas orquestras. O exemplo mais concreto é o canto gregoriano.

Influências na música hoje

Embora exista até hoje e tenha uma legião de pessoas que não abrem mão do estilo, a música clássica foi sendo adaptada com o passar do tempo, sofrendo alterações que possibilitaram a criação dos diversos estilos musicais existentes hoje. Confira alguns estilos super atuais e que tiveram muita influência da música clássica ao longo da história:

Gótico

Causando aversão em uns e total fascínio em outros, o estilo gótico, muito presente nos anos 80, foi um estilo que usou muitas referências clássicas para originar um gênero próprio.

Conhecidos pela dramaticidade, os góticos se apropriaram de elementos clássicos na música, com violinos misturados à guitarras, criando uma atmosfera totalmente nova.

Música Pop

Você se lembra de quando Lady Gaga lançou a música ‘Alejandro’? A introdução do som é composta por um violino agudíssimo, transportando os fãs para o universo do videoclipe.

A música clássica até hoje é usada na cultura pop, principalmente em filmes, para ambientar cenas de fortes emoções.

Música eletrônica

O que a balada tem a ver com Beethoven? Bom, pode-se dizer que há desdobramento da música clássica na música moderna, até chegar em artistas como Stockhausen, que foram responsáveis por desconstruir totalmente a noção de estrutura musical.

No século XX, com o surgimento das vanguardas e da música eletroacústica, os músicos, compositores e artistas de variadas áreas puderam desenvolver e experimentar diversas técnicas, até o ponto de chegarem ao que chamamos hoje de música eletrônica.

Ferramenta de concentração

Hoje, com a internet dominando nossas atividades diárias, é muito comum encontrarmos rádios e playlists online que fazem streaming de música clássica, com a proposta de ajudar na concentração e relaxamento durante atividades como estudos e trabalhos criativos.

Engraçado notar que, surgida como entretenimento para um público específico, a música clássica hoje atingiu as massas e é consumida mesmo quando o ouvinte não faz ideia de onde aquilo surgiu.

Instagram