Durante a pandemia, recomendações de segurança para motoristas de aplicativo e taxistas são redobradas

Além de máscara e álcool em gel, é importante arejar o veículo e higienizá-lo com frequência

A pandemia fez com que os brasileiros incluíssem em suas rotinas hábitos inimagináveis antes. Muitas pessoas puderam ficar em casa e evitar deslocamentos, mas outras continuam precisando ir de um lugar para outro. Os motoristas de aplicativo e taxistas tiveram de resguardar não somente a sua própria saúde, como a dos clientes que utilizam o serviço.

O Sebrae, inclusive, criou um guia prático para o transporte em tempos de coronavírus, com dicas de saúde e higiene. Antes de tudo, os motoristas devem acompanhar as informações oficiais governamentais e diretrizes vigentes. Como as regras mudam de cidade para cidade e com o tempo, é importante ficar atento às notícias sobre as normas de funcionamento para as atividades econômicas.

O motorista deve, primeiramente, cuidar da sua própria higiene, com o uso de máscara e limpeza das mãos. Quando possível, é primordial lavar as mãos com água e sabão e, fora de casa, utilizar álcool em gel sem parcimônia. É importante que o trabalhador higienize o veículo com frequência, bem como ofereça álcool em gel para os passageiros. Já há em alguns carros barreiras físicas entre o motorista e o passageiro, o que ajuda a evitar contaminação. Algumas empresas de aplicativos já oferecem divisórias para os motoristas, que também devem ser higienizadas com frequência.

Os motoristas precisam também estar atentos aos resíduos deixados pelos passageiros e manipulá-los com luvas descartáveis, além de descartá-los após cada corrida, para que o próximo cliente não entre em contato. É essencial também deixar as janelas abertas para maior circulação de ar. O ar-condicionado deve ser evitado ou, se necessário o uso, não utilizar a recirculação de ar. A circulação de ar natural deve ser privilegiada.

É imprescindível que todos os passageiros usem máscara durante todo o trajeto, e isso deve ser reforçado. Deve-se evitar o consumo de alimentos e bebidas dentro do veículo. Com a atenção redobrada, tanto motoristas, quanto passageiros, podem se sentir mais seguros. Esta forma de transporte se torna alternativa para aqueles que querem fugir dos riscos do transporte público.

Com a crise financeira, muitos encontraram nos aplicativos de transporte uma forma de obter uma renda extra. Para aqueles que não possuem veículo próprio, é possível realizar a locação de carro para Uber. Com veículo próprio ou alugado, os cuidados devem ser os mesmos. Os motoristas devem continuar desinfetando os veículos após cada turno ou troca de passageiro e manter as orientações para proteger a todos.

Foto:Divulgação

Instagram