Dia Mundial da Higienização das Mãos reforça a importância de manter o hábito

Com a pandemia da Covid-19 o hábito de higienizar as mãos com água e sabão ou álcool 70% foi amplamente divulgado como um meio de prevenção à doença, mas com a diminuição dos casos, esse hábito não deve ser deixado de lado.

Instituto de Oncologia do Vale

“A higienização das mãos é algo tão importante, que no dia 5 de maio é celebrado o Dia Mundial de Higienização das Mãos. Nesta data, lembramos a importância deste ato para reduzir a transmissão de uma série de doenças”, afirma a farmacêutica do Instituto de Oncologia do Vale, Camila Moraes dos Santos.

Segundo a profissional, as mãos são as principais fontes de transmissão de micro-organismos causadores de diversas doenças.

“Estudos comprovam que higienizar as mãos pode reduzir em cerca de 20% a infecção de doenças respiratórias na população em geral, permitindo que esses agentes infecciosos sejam transferidos de uma superfície para outra, através do contato direto ou indireto com objetos e superfícies contaminados”, explica Camila.

A melhor forma de higienizar as mãos é com água e sabão. Ensaboando as palmas, as costas das mãos, entre os dedos, debaixo das unhas e os punhos, esfregando-as por pelo menos 20 segundos e enxaguando com água corrente.

Dia Mundial de Higienização das Mãos

Quando não for possível realizar a lavagem das mãos, outra maneira eficaz é a   higienização com álcool 70 %, mas certifique-se da segurança do produto.  Neste caso, cubra todas as superfícies das mãos e esfregue-as durante cerca de 20 segundos, até senti-las secas.

A higienização deve ser realizada diversas vezes ao dia e principalmente antes de tocar nos olhos, nariz ou boca; antes, durante e depois da preparação da comida; antes de se alimentar; antes e depois de cuidar de alguém com sintomas respiratórios; depois de assoar o nariz, tossir ou espirrar e depois de usar o banheiro.

Imagem de Couleur por Pixabay 

Instagram