Contar carneirinhos nos ajuda a dormir?

Saiba mais sobre a técnica “popular”, seus efeitos e outras 5 dicas para melhorar a qualidade do seu sono.

Quem nunca ouviu falar que “contar carneirinhos” antes de dormir ajuda o sono a chegar mais rápido? Essa técnica popular se tornou quase um ditado no Brasil, país em que os carneiros nem são tão comuns assim. Mas será que imaginar os animais pulando uma cerca ajuda, de fato, a pegar no sono?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), problemas com sono atingem cerca de 40% das pessoas em todo o mundo. Ou seja, é muita gente que mesmo com muito esforço, travesseiros, almofadas e tapa-olhos, não conseguem dormir à noite ou têm uma qualidade de sono tão baixa que acaba prejudicando outros pontos de sua vida.

A história dos carneirinhos

A frase “contar carneirinhos” não tem origem brasileira e diz mais sobre seu local de origem do que sobre o Brasil. O primeiro indício histórico de algo semelhante ao ditado usado hoje é da região da Pérsia, em séculos passados, quando um contador de histórias de um rei teve que se virar para criar uma longa história para o monarca dormir. O enredo criado envolvia “incontáveis carneiros” e o rei acabou dormindo no meio da história.

Algum tempo depois, já no século XII, depois de a história ter sido passada e conhecida no oriente médio, uma socióloga, Harriet Martineau, escreveu um artigo em que mencionava a “lenda das ovelhas”, trazendo à tona o termo countsleep, “conta-sono” em inglês, que depois acabou se tornando, popularmente, countsheep (sheep significa “carneiro” em inglês). E foi assim que o termo chegou ao Brasil.

Contar carneirinhos ajuda mesmo?

Se na teoria o termo, em si, não se refere a imaginar e contar carneirinhos, na prática é exatamente isso que muitas pessoas fazem. De qualquer maneira, fazer esse exercício mental pode ajudar a mente a esquecer outros assuntos preocupantes, o que contribui com o sono. A repetição também gera o tédio e pode relaxar a mente, algo também visto como positivo na hora de dormir.

Entretanto, cientificamente falando, os carneirinhos não passam de animais fofos. Ajudar a dormir, já é outra história. Isso quer dizer que não há comprovação de que pensamentos repetitivos de fato contribuem com o relaxamento da mente e, consequentemente, do sono. Assim, quem passa por problemas de sono terá que encontrar outras maneiras de regular esse ato tão importante para a saúde e bem-estar.

5 dicas para dormir melhor

1.   Evite eletrônicos antes de dormir

Pesquisas recentes mostraram que a luz azul emitida por dispositivos eletrônicos como computadores, celulares e tablets podem dificultar o sono à noite. Isso porque esse tipo de iluminação excita o cérebro, deixando-o acordado, em alerta. Por isso, pelo menos uma hora antes de se deitar, deixe o celular de lado.

2.   Tenha uma rotina do sono

O corpo precisa entender que a hora do descanso está chegando. Por isso, uma das dicas para evitar a insônia é criar uma rotina de preparação para isso, como tomar um banho relaxante e ler um livro. Fazendo isso repetidas vezes, o cérebro passa a entender que depois de tais atividades, ele pode relaxar de vez.

3.   Faça exercícios físicos

Os exercícios físicos são imprescindíveis para qualquer pessoa que queira uma rotina mais saudável e com bem-estar. Isso porque eles contribuem com inúmeras questões do corpo humano, inclusive a saúde mental e o sono. Quando o corpo está cansado, a hora de dormir também pode se tornar mais fácil. Além disso, realizar atividades físicas ajuda a controlar os hormônios e neurotransmissores.

4.   Busque mais equilíbrio

Uma vida muito ansiosa, confusa e cheia de preocupações pode ser um fator dificultador do sono. Dessa forma, seja para quem sofre com problemas de sono ou não, manter uma vida equilibrada, com períodos ideais para descanso, lazer, produção e vida social pode tornar as preocupações mais controladas e, consequentemente, garantir uma boa noite de sono.

5.   Procure ajuda quando necessário

Sono não é brincadeira. Quando se dorme mal ou se tem muita dificuldade nesse quesito, todo o bem-estar do indivíduo acaba sendo comprometido. Além disso, vale lembrar que problemas de sono podem passar com a mudança de alguns hábitos citados aqui, mas a insônia é um problema clínico que precisa de acompanhamento médico e, muitas vezes, uso de medicamentos.

Por isso, caso esteja nessa jornada pelo sono melhor há muito tempo sem resultados e a situação está saindo do controle, procure ajuda médica e especializada, como neurologistas, psicólogos ou psiquiatras.

Instagram