Comércio eletrônico pode crescer com o projeto ‘BR do Mar’ do governo

O comércio eletrônico cresceu substancialmente nos últimos anos, em especial nesses últimos meses, em virtude da pandemia causada pelo novo Coronavírus. O crescimento apresentado por essa modalidade de comércio foi realmente incrível, surpreendendo a todos.

Contudo, o programa de incentivo marítimo BR do Mar é entregue ao Congresso. Com o projeto do governo “BR do Mar”, a expectativa é que o comércio eletrônico seja ainda mais intensificado. Esse projeto tem como principal objetivo estimular a cabotagem, ou seja, o tráfego marítimo entre os portos pertencentes a uma mesma costa marítima de um determinado país.

Esse Projeto de Lei tem um texto baseado no debate ocorrido entre diversas pastas. E visa o estímulo do transporte interno de mercadoria, assim como o aumento da competitividade industrial do Brasil.

De acordo com o Ministro Paulo Guedes, a ideia é diminuir drasticamente o custo de transporte em todo o país. Conforme o Ministério da Infraestrutura, o texto desse Projeto de Lei irá criar mais rotas marítimas e diminuir os custos com o transporte daquelas rotas que já existem. Haverá um aumento significativo no volume de contêineres.

Com isso, o comércio nacional será totalmente beneficiado, inclusive o comércio eletrônico, uma vez que o projeto tende a reduzir os custos.

Objetivos do projeto BR do Mar

Confira abaixo quais são os principais objetivos do Programa BR do Mar:

• Incrementar no transporte de cabotagem tanto a oferta quanto a qualidade.

• Estimular competitividade e concorrência nos serviços de transporte de cabotagem.

• Aumentar, em todo o território nacional, a disponibilidade da frota.

• Promover estímulo às operações especiais da cabotagem, assim como também os investimentos nas instalações portuárias, para que se possa atender cargas tanto em tipo, como em mercado ou rota, que já são consolidados no mercado, ou que ainda são inexistentes.

• Promover uma revisão da vinculação de políticas de navegação da cabotagem com as políticas da construção naval.

• Promover um incentivo tanto à formação, quanto à qualificação e capacitação dos marítimos nacionais.

• Otimizar a utilização dos recursos provenientes da arrecadação do AFRMM (Adicional ao Frete Para a Renovação da Marinha Mercante).

Logística no comércio eletrônico

Quanto menos custos, maior será a eficiência do seu negócio. Apesar de o comércio eletrônico apresentar uma série de vantagens em comparação com os demais mercados, ainda assim é preciso se atentar para outras questões muito importantes também, e que, se não forem devidamente observadas, podem resultar em prejuízo.

Com o grande aumento nas vendas online, produtos de grandes portes como geladeira, máquina de lavar roupa, fogão,  computador, televisores e entre outros produtos para casa, aumentou consideravelmente, fazendo a importações desses produtos pelo país triplicarem.

Nesse contexto, apesar de haverem diversas modalidades de transportes diferentes, ainda assim os custos são elevados.

Por isso, com o Projeto de Lei “Br do Mar”, a tendência é que esses custos sejam bem reduzidos, e não só o comércio eletrônico, como os demais também possam trabalhar com custos de transporte muito menores. E a ideia é que isso seja possível em todo o território nacional.

Eventualmente, em comparação com o transporte ferroviário e rodoviário, a cabotagem se apresenta como uma alternativa bem mais viável, quando se trata de custos, impacto ambiental e também com relação à capacidade de carga.

Além disso, ela também é a melhor opção para a composição da cadeia de suprimentos de vários setores distintos.

Instagram