6 sintomas de desidratação que você precisa estar atento

Clima frio e seco do inverno faz com que a gente sinta menos sede e descuide da ingestão de líquidos

Os profissionais de saúde indicam que o ideal é que as mulheres consumam 30 ml de água por peso corporal. Já os homens devem ingerir 50 ml de água por quilo, para manter-se sempre hidratados. Isso acontece porque estamos o tempo todo “perdendo” líquido.

Mesmo nos dias mais frios, a água sai do nosso organismo quando vamos ao banheiro, por meio da urina e das fezes, além deixar o corpo em forma de suor, lágrimas, saliva e até por meio da respiração. No total, estima-se que entre 2 e 2,5 litros sejam eliminados diariamente sem que a gente perceba.

Algumas situações mais críticas, como as viroses e outras enfermidades que causam vômito e diarreia, acabam sendo mais drásticas para o corpo. Elas fazem com que a desidratação ocorra de forma mais abrupta, precisando de atenção imediata.

A água compõe grande parte do nosso organismo — 70% do nosso peso total! — e é necessária para as mais variadas funções. Por isso, manter a hidratação em dia é fundamental para a saúde e o bom funcionamento do organismo.

Isso é mais simples de ser feito do que muitos imaginam: além de caprichar na ingestão diária de água e outros líquidos, os alimentos que consumimos também acabam fornecendo um pouco de líquido para a nossa alimentação.

Causas

Algumas situações intensificam a perda hídrica pelo corpo, comprometendo suas funções. São elas:

  • Ficar ao ar livre em dias muito quentes;
  • Febre alta;
  • Amamentação;
  • Queimaduras extensas;
  • Uso de diuréticos;
  • Hemorragia;
  • Vômito,
  • Diarreia.

O corpo costuma dar sinais de que precisa de líquidos quando ocorrem as situações acima, principalmente, manifestando sede, boca seca e xixi de cor escura.

Sintomas

Outros sinais de que o corpo precisa de líquido são menos óbvios do que a sede. Eles podem surgir como:

  • Dor de cabeça
  • Tontura
  • Queda de pressão
  • Aumento da frequência cardíaca
  • Cansaço excessivo
  • Pele seca e pouco elástica

Em bebês, também é visível que a fontanela, também conhecida como moleira, fique afundada quando há desidratação. É fundamental que perda de água não seja subestimada ou negligenciada, pois, é uma condição séria e que compromete a saúde. A baixa concentração de eletrólitos e sais minerais compromete vários órgãos.

A condição ainda é classificada como: isotônica, quando há perda de água, sais minerais e redução no volume sanguíneo; hipertônica, quando a desidratação aumenta a quantidade de sódio no organismo; e hipotônica, que reduz o sódio do corpo por conta da transpiração exagerada.

Os praticantes de atividade física, em especial, aqueles de alto rendimento, precisam redobrar os cuidados com a hidratação para manter a saúde e a performance. Nos dias quentes, além de água, muitos acabam repondo os sais minerais perdidos por meio de géis e bebidas isotônicas.

Tratamento

No inverno, é comum sentirmos menos sede porque não transpiramos tanto. Contudo, ainda assim, é fundamental manter a ingestão de líquidos para conservar a hidratação do corpo. Além da água, chás, sucos e outras bebidas podem ajudar a compor essa consumo.

As crianças e os idosos demandam ainda mais atenção, pois são mais suscetíveis à desidratação severa e às consequências nocivas que ela traz ao corpo.

O ideal é sempre oferecer líquidos várias vezes por dia. Em caso de diarreia, o soro caseiro é sempre bem-vindo, sendo feito com um copo de água filtrada ou fervida, uma colher de sopa de açúcar e uma colher de chá de sal.

Se não houver melhora, o médico deve ser sempre consultado, podendo ser necessário usar medicamentos e soro intravenoso.

Instagram