Vale mais a pena comprar ou alugar um imóvel?

Confira os critérios que precisam ser analisados antes da escolha

Certamente um dos grandes desafios da vida financeira de uma pessoa é a decisão de comprar ou alugar um imóvel. Se você mora de aluguel, é normal se questionar se está “jogando dinheiro fora” ou se não está na hora de começar a pensar na casa própria.

E, quando você vai atrás da compra de casa ou apartamento, descobre que os juros são altos e que não é tão simples encontrar o imóvel ideal. E é exatamente por esses motivos que muita gente prefere permanecer no aluguel. Saiba como analisar os fatores e fazer a melhor escolha para suas preferências e necessidades.

Afinal, é melhor comprar ou alugar um imóvel?

Como quase todas as decisões que envolvem uma quantia de dinheiro considerável, a resposta é: depende. Há muitas diferenças e condições para comprar ou alugar um imóvel, no entanto, nos dois casos é necessário um bom planejamento financeiro e muita organização.

Além disso, é preciso considerar alguns fatores importantes antes de tomar essa decisão, como planos de vida e de carreira. Isso porque a decisão entre alugar ou comprar um imóvel requer muito comprometimento, ainda mais se tratando de um financiamento.

Quando a taxa de juros está baixa, pode ser mais viável comprar, visto que o valor do aluguel chega bem perto de uma parcela de financiamento. Entretanto, caso contrário, é muito provável que morar de aluguel seja a melhor opção.

Vale ressaltar que não é somente a situação financeira que importa na hora de decidir entre comprar ou alugar um imóvel. Questões como estabilidade, objetivos de vida, ocupação profissional e até mesmo fatores emocionais também devem ser consideradas.

Quando vale a pena alugar?

Muitos dizem que morar de aluguel é “jogar dinheiro fora”, porém não é bem assim que funciona: há algumas situações em que o aluguel pode, sim, ser a melhor opção.

Se você não tem a quantia necessária para comprar o imóvel ou pagar a entrada, por exemplo, morar de aluguel já é mais vantajoso. No entanto, há outras situações, como: incerteza de ter uma família, planos para viajar para o exterior, etc.

E, mesmo se você tiver dinheiro suficiente para comprar um imóvel à vista, o aluguel pode ser mais viável na ótica financeira. Inclusive, há uma conta matemática que responde se é viável ou não a partir da taxa de retorno do imóvel. Veja a seguir.

Conta para saber se alugar o imóvel é viável

A conta parte do seguinte raciocínio: em vez de comprar o imóvel, é melhor investir o valor que seria usado para isso por um período determinado de tempo. Sendo assim, com o lucro, é possível pagar o aluguel e, se porventura sobrar algum dinheiro, este pode ser reinvestido ou usado para qualquer outra coisa.

Para chegar na taxa de retorno do imóvel, é necessário dividir o valor do aluguel pelo valor da venda da casa ou apartamento e multiplicar por 100.

Exemplo: digamos que o valor do imóvel seja de R$ 400 mil e o valor do aluguel R$ 2 mil. A conta seria feita da seguinte forma: 2.000 / 400.000 x 100 = 0,5.

Com a taxa de retorno sendo 0,5%, significa que investir R$ 400 mil em qualquer aplicação financeira que conceda um rendimento maior que 0,5% ao mês já será suficiente para pagar o aluguel e ainda sobrará algum valor. Neste cenário, o aluguel é mais vantajoso.

Outro ponto positivo do aluguel é que é possível economizar com a manutenção e, se necessário for, também com a reforma do imóvel, que normalmente fica por conta do proprietário.

Quando vale a pena comprar?

Ao comprar um imóvel, você assume um compromisso muito sério e se a compra for financiada, esse compromisso se torna ainda maior. Por esse motivo, é necessário pensar sempre com muito planejamento e cuidado antes de fechar negócio.

Geralmente, a recomendação para comprar um imóvel são para pessoas que têm uma vida profissional e financeira estabilizadas, com uma fonte de renda estável.

No entanto, as vantagens são evidentes: você adquire uma propriedade sua em seu nome, o que te dá a liberdade de fazer as mudanças que quiser, alugar o espaço, entre muitas outras coisas.

O grande ”X” da questão fica por conta do alto investimento, pois mesmo se tratando de um financiamento, é preciso investir um valor considerado alto de entrada e assumir as longas prestações durante o tempo de pagamento.

Por esse motivo, o planejamento financeiro se faz necessário, uma vez que, com os juros do financiamento, o imóvel acaba saindo mais caro que o valor inicial.

Instagram