O dependente químico e as dificuldades de convívio social

Além de todos os impactos causados na saúde física e mental do dependente químico, a dependência por substâncias químicas também é responsável por grandes mudanças em inúmeras esferas da vida do dependente, como é o caso do convívio social.

Grande parte dos usuários de drogas passam a ter problemas no ambiente acadêmico, profissional e no ambiente familiar, mediante as ações da droga no organismo. Alguns dependentes químicos chegam até mesmo a perder tudo o que tem, e se afundam ainda mais nas drogas, principalmente pela falta de tratamento em uma clínica de reabilitação.

A forma como as pessoas lidam com o dependente químico

A relação da dependência química, do usuário e dos amigos e familiares à sua volta é algo extremamente complexo.

Isso porque, é comum algumas pessoas acabarem não enxergando a dependência química como de fato ela é: uma doença crônica, progressiva e um grande problema de saúde pública.

A falta de compreensão da situação e de paciência com o dependente químico por parte da família e dos amigos, pode ser um ponto chave para que ele se isole ainda mais e busque conforto nas drogas e em más companhias. Dessa forma, é muito importante substituir os rótulos e palavras de julgamento, por ações mais empáticas e de compreensão.

Por exemplo, é extremamente comum que as pessoas não tratem a dependência química como uma doença e definam os dependentes químicos como loucos, irresponsáveis, perturbados e outros adjetivos que apenas tornam os usuários de drogas mais agressivos e afastados.

Isolamento profundo e a dificuldade de convívio

Com a família e os amigos rotulando o dependente químico e tentando controlar suas ações, é comum que ele encontre na droga um refúgio para a situação e passe a aumentar ainda mais as quantidades e a frequência do uso.

O isolamento profundo é um dos principais impactos da dependência, o indivíduo para de comparecer aos eventos de família e procura se afastar cada vez mais do convívio social com as pessoas que desejam afastar ele das drogas, além disso, é muito comum que o dependente encontre outras companhias que também fazem uso de substâncias químicas.

O medo e a culpa

Outro ponto que leva a dificuldade de convívio social é o medo de uma possível internação involuntária, principalmente nos casos em que o dependente químico não está aberto à possibilidade de um tratamento.

A culpa pela situação em questão, pelo afastamento e pelas dificuldades da família também é um sentimento que costuma fazer com que o dependente químico prefira ficar isolado do que enfrentar a família.

Importância de um tratamento para dependentes químicos

O tratamento para dependente químico é a solução ideal para que as mudanças de comportamento, como a dificuldade de convívio social, sejam minimamente revertidas.

Imagem de KLEITON Santos por Pixabay 

Instagram