E-commerce registra crescimento de 112,8% no Dia dos Namorados

Itens mais buscados faziam parte da categoria de moda e acessórios

Mesmo à distância, devido ao isolamento social, os apaixonados conseguiram encontrar uma forma de presentear o amado no Dia dos Namorados. Apenas entre os dias 28 de maio e 12 de junho foram efetuadas 15,8 milhões de compras pela internet – número 112,8% superior ao registrado na mesma data em 2019. Os dados são do levantamento realizado pela Social Miner, em parceria com RankMyAPP, Compre & Confie, ANYMARKET, Vindi, ClearSale, Octadesk, Phonetrack e Send4.

Em questão de faturamento, o e-commerce alcançou a marca de R$ 6,4 bilhões – 115,8% a mais do que o apresentado no ano anterior, com destaque para os setores mais procurados do período: Moda e Acessórios, Entretenimento, Artigos para Casa, Beleza & Perfumaria e Informática & Câmeras. Para o  Movimento Compre & Confie, a pandemia impactou os hábitos de compra dos brasileiros, que precisaram se adaptar aos comércios de rua fechados e buscaram alternativas online. 

“Com a pandemia, consumidores trouxeram cada vez mais seu consumo para o ambiente digital, gerando aumento significativo de pedidos e de faturamento. É possível notar essa tendência desde o Dia do Consumidor, em março, e o Dia das Mães, recentemente. Acredito que vamos continuar observando esse aumento massivo de compras durante todo o ano”, afirma André Dias, diretor executivo do Compre & Confie.

A aderência maior às compras online para o Dia dos Namorados aconteceu entre as pessoas de 36 e 50 anos, que foram as responsáveis por 34% das vendas totais. Em seguida, aparece a faixa dos 26 a 35 anos, com 31,7% das compras do período. Logo depois estão os que possuem até 25 anos, com 19%, e quem já está com mais de 51 anos, com 15,4%.

O levantamento também mostra que os moradores da região Sudeste do país foram os que mais buscaram produtos online, com 66,7% dos pedidos feitos. Em seguida estão Nordeste (14,4%), Sul (11,5%), Centro-Oeste (5,3%) e, por fim, Norte (2,1%).

Segurança para o e-commerce 

Com o rápido crescimento do setor durante a pandemia, as fraudes também estão mais presentes no e-commerce. De acordo com a ClearSale, empresa especializada em soluções antifraude, os prejuízos evitados pelos empresários chegou à marca de R$ 77,4 milhões – o valor é 43% maior do que o registrado na mesma data em 2019.

Neste cenário, com vários micro e pequenos empresários migrando os negócios físicos para o online, é importante que uma estratégia antifraude seja colocada em prática pelo varejista. Isso porque os danos financeiros causados pelas fraudes ficam com o dono do negócio, e não com a emissora do cartão de crédito, como se imagina. 

“Por isso, é importante que a loja virtual conte com uma solução antifraude contratada, ou, no caso de optar por trabalhar com marketplaces, questionar como funciona a análise e o chargeback dos pedidos”, orienta Omar Jarouche, diretor de soluções da ClearSale.

Foto: Divulgação

Instagram