Curiosidade: como surgiu o liquidificador

O liquidificador já é, há décadas, um dos eletrodomésticos mais usados no dia a dia. Difícil a casa que não tenha um desses aparelhos. Além disso, os preços, atualmente, são bem acessíveis. Portanto, todo mundo tem o seu liquidificador, não é mesmo?

Mas, você sabe como surgiu o liquidificador e como ele se desenvolveu até os modelos de hoje? Fique por aqui e descubra!

Como surgiu o liquidificador

Como o liquidificador se trata de um utensílio que originou de outros e passou por muitas modificações, não é possível definir de forma exata como ele surgiu.

Mas, os primeiros relatos de um liquidificador na data de 1904.

O aparelho, que na época era usado para misturar componentes químicos, surgiu na Inglaterra.

Depois, há relatos dos primeiros liquidificadores usados na alimentação. No caso, o primeiro teria surgido nos Estados Unidos, por volta de 1920. Tratava-se, ainda, de um utensílio rústico e não muito complexo como hoje é seu objetivo era misturar ingredientes líquidos, para facilitar a preparação de bebidas.

Os primeiros liquidificadores possuíam hélices maiores que as de hoje. Uma cumbuca era usada no lugar do copo para agregar os ingredientes. E a princípio, as hélices rodavam com movimentos manuais, como se fossem manivelas.

O primeiro liquidificador com motor

No entanto, foi em 1922 que o polonês Stephen Poplawski criou o primeiro protótipo de um liquidificador muito mais complexo e funcional para a época. Surgiu, então, o primeiro liquidificador com hélices giratórias pequenas e um motor elétrico.

Ou seja, não era mais preciso mover as pás do aparelho com a força das mãos Uma descoberta e tanto para a época!

Mais para frente, na década de 1930, uma empresa dos Estados Unidos agregou funções e tornou os liquidificadores menores, mais velozes e baratos.

Tipos de liquidificador de uso caseiro

Atualmente, como já foi abordado, são inúmeros os modelos de liquidificador que podemos encontrar no mercado. As pesquisas feitas por usuários sobre qual o melhor liquidificador, envolve sempre uma classificação e os modelos podem ser classificados de acordo com:

  • Potência;
  • Tamanho e material do copo;
  • Lâmina e acessórios.

Saiba mais sobre as opções de cada uma destas características. Assim, você escolhe qual é o modelo que mais atende às suas necessidades!

  1. Potência

Prefira os modelos que dão opção de até 3 potências. A potência é o que determina o que o liquidificador pode misturar.

Por exemplo, na potência mais alta o eletrodoméstico já é capaz de triturar gelo e sementes. Dessa forma, você conta com um modelo de uso caseiro, mas bem eficiente.

  1. Tamanho e material do copo

Os mais indicados para o uso doméstico são os modelos de liquidificador com capacidade para até 3 litros. Assim, você pode até preparar um bolo para uma festa com muitas pessoas.

Já em relação ao material do copo, o mais indicado e procurado são os de acrílico. Os de vidro são ótimos, porém, são modelos mais indicados para o uso profissional, já que são pesados e o risco de cair em casa é grande. Já pensou?

  1. Lâmina e acessórios

O melhor são os liquidificadores com lâminas removíveis. Isso facilita muito a limpeza – porque lâminas fixas acumulam restos de alimentos e para limpar você pode se ferir.

Acessórios também são muito bem vindos, como copos extras, filtros para peneirar alimentos, etc.

Como surgiu o liquidificador no Brasil

Já no nosso país, o liquidificador foi fabricado em 1944, apenas. Até tal data, o eletrodoméstico era importado e o custo, alto. Mas, ao passar a ser fabricado aqui, o liquidificador se tornou um eletrodoméstico mais acessível e mais adquirido pelas pessoas.

De lá para cá, então, foram inúmeras as evoluções deste eletrodoméstico. Hoje temos dos industriais, para o uso de alimentos em grande quantidade, até os portáteis. Até mesmo aqueles que são ligados por USB, ou seja, no computador. Incrível, não é?

Instagram