Conheça seis projetos arquitetônicos incríveis em São Paulo

Para sair do clichê e conhecer um pouco mais da história da capital paulista

Ah… São Paulo. A cidade conhecida como selva de pedra, com seus arranha-céus, a cultura paulista que vibra nas ruas da capital mais populosa da América Latina. Para além dos números impressionantes que a terra da garoa proporciona – mais de 12 milhões de habitantes e em 21º lugar no ranking dos maiores PIBs do planeta –, a beleza da metrópole é um dos pontos de atenção que deixam qualquer um de queixo caído.

Tanto para estudantes de arquitetura EAD, quanto para profissionais, analisar a arquitetura de São Paulo é conhecer um pouco da história da cidade e ampliar horizontes recheados de possibilidades. Sendo assim, separamos seis prédios paulistas pouco lembrados para um olhar mais atento ao projeto arquitetônico. Confira!

Casa das Rosas

(Crédito: iStock)

Localizada na Avenida Paulista, a Casa das Rosas foi construída em 1935 pelo arquiteto Felisberto Ranzini. O projeto foi inspirado no estilo clássico francês, e hoje a casa é destinada a apresentações culturais, principalmente focadas na literatura. Por dentro, a casa possui oito quartos, escritórios, salas, cozinha, copa, mansarda e lavanderia, dispostos em 5.500 metros quadrados. 

Pinacoteca de São Paulo

(Créditos: iStock)

Apesar de bastante conhecida, a estrutura arquitetônica da Pinacoteca vale a pena ser comentada. Localizada no centro de São Paulo, o prédio é destinado principalmente à arte urbana e moderna. Mais antigo museu da cidade, foi projetado pelo arquiteto Ramos de Azevedo no século XIX e parcialmente inaugurado em 1900. Sobre o estilo arquitetônico, a Pina foi feita à luz neorrenascentista e possui três pavimentos, com dois pátios internos.

Mube

(Crédito: reprodução Instagram / @a.tour)

O Museu Brasileiro de Escultura e Ecologia fica localizado no Jardim Europa e ocupa uma área de 7 mil metros quadrados. Foi arquitetado por Paulo Mendes da Rocha e está ligado semi-subterraneamente a um jardim, projetado por Burle Marx. O prédio foi fundado em 1995 e tem todos os detalhes produzidos em concreto, sem qualquer tipo de reboco ou pintura.

Hotel Unique 

(Crédito: reprodução Instagram / @hotelunique)

Conhecido pelo formato inusitado de um barco, o Hotel Unique foi fundado em 1960 pelo arquiteto Ruy Ohtake. Localizado na Avenida Brigadeiro Luís Antônio, o hotel comporta 95 apartamentos em uma área de mais de 20 mil metros quadrados. A inovação feita neste projeto está no uso dos materiais, que misturam vidros, concreto e um revestimento de cobre.

Instituto Tomie Ohtake 

(Crédito: reprodução Instagram / @institutotomieohtake)

Localizado no bairro de Pinheiros, o edifício é um dos mais chamativos da cidade. Também projetado por Ruy Ohtake, o prédio foi inaugurado em 2001 e é destinado a ações culturais diversas. O projeto arquitetônico, composto por curvas e vidros espelhados, conquistou o prêmio na IX Bienal de Arquitetura de Buenos Aires, em 2001. Em 7.500 metros quadrados, o instituto comporta salas de ateliê, salas de exposições, sala de seminários e um grande hall.  

 Edifício João Moura

(Crédito: reprodução Instagram / @soulmeoficial)

Por fim, o Edifício João Moura, localizado na Vila Madalena, é uma das construções que mais chamam a atenção pelas cores vibrantes. O prédio ocupa mais de 2 mil metros quadrados e foi inaugurado em 2009 pelo grupo de arquitetos da Nitsche Arquitetos. Como foi construído em um local com difícil tipografia, o prédio tem um acesso a dez metros de profundidade do alinhamento frontal. É conhecido pelos painéis coloridos em degradê azul e verde, além de varandas e jardins.

Crédito: iStock
Instagram