Atendimento domiciliar: o que faz um enfermeiro home care?

Conhecer as atribuições do enfermeiro home care é importante no momento da sua contratação, a fim de garantir um atendimento de qualidade e responsabilidade

A assistência domiciliar, ou home care, tem se tornado uma alternativa para as famílias que buscam cuidados de enfermagem para  crianças, adultos ou idosos, que não tenham necessidade de internação hospitalar, porém requerem uma atenção especial, seja após um procedimento cirúrgico, doenças crônicas ou portadores de necessidades especiais. Este trabalho tornou-se muito comum nos últimos anos por vários motivos; entre eles, se destacam: envelhecimento da população; longas e custosas internações, assim como a possibilidade de adquirir infecções hospitalares; aconchego do lar,  favorecendo a melhora mais rápida; acompanhamento mais eficaz do paciente; entre outras razões.

 O trabalho deste profissional da saúde pode ser assistencial, ou seja, elaborar de forma sistematizada como será a assistência de enfermagem e de todos os envolvidos no cuidado do paciente, como também descrever o histórico médico e de enfermagem e o respectivo diagnóstico de enfermagem; na verdade, tudo dependerá de cada caso e de sua complexidade, como, por exemplo, uma pessoa que não pode se movimentar por longo período ou outra pessoa que realizou uma cirurgia e que necessita da troca de curativos por um curto intervalo de tempo; em ambos os casos, a presença do enfermeiro é importante para identificar e agir para preservar a saúde e a vida do paciente.

A outra atividade da enfermagem é classificada como tarefa educativa, cujo papel está em ensinar os familiares e responsáveis pelos procedimentos necessários, para que o paciente tenha sua recuperação com qualidade, inclusive elaborar e orientar sobre ações sobre cuidados focados não somente na saúde física, mas também na emocional, como participar das tomadas de decisão da equipe multidisciplinar de saúde, caso haja.

 As pessoas que necessitam contratar o serviço home care precisam ter claramente definido qual profissional precisam; para tanto, deve-se avaliar as necessidades do paciente e considerar as orientações médicas. Caso o problema não seja grave, o ideal é ter o acompanhamento de um cuidador, que estará qualificado para auxiliar na administração da alimentação, medicação, assim como cuidar da higiene, entre outras atividades. Se o paciente requer cuidados mais específicos e técnicos, o  profissional do curso de enfermagem tem essa possibilidade de atuação, principalmente por estar capacitado tecnicamente e por ter respeito e ética na observação da evolução do paciente, principalmente preservando a qualidade de vida; portanto, é de fundamental importância para o diagnóstico e tratamento.

Foto:Divulgação, istock

Instagram