A chegada do verão exige cuidados especiais com os pets: confira os principais

Assim como os humanos, os animais sentem as alterações de temperatura e são afetados por elas. Saiba como evitá-las para garantir a saúde térmica de seus bichos.

Não é segredo para ninguém que o verão é a estação favorita dos brasileiros, tanto para quem viaja, quanto para quem fica em casa. Isso porque, no Hemisfério Sul,  a estação queridinha também coincide com datas festivas, sendo o Natal, o Réveillon e o Carnal algumas das principais. Além disso, este é o maior período de férias escolares no Brasil.

Contudo, a época mais quente do ano também exige de nós muitos cuidados, tanto com nossa família, quanto com nossos pets. Para os bichos, temperaturas muito elevadas podem não ser motivo de tanta alegria assim.

Dentre as várias razões para isso, está a proliferação de insetos e aracnídeos, por isso, combater infestações de pulgas e carrapatos é uma necessidade bastante comum durante o verão.

Temperatura da água

Assim como nós, os animais que também são mamíferos, como os cães e os gatos, bebem mais água em períodos quentes. Isso porque temos um sistema de termorregulação da temperatura corporal a partir da ingestão do líquido. Ou seja, usamos a água ingerida não só para nos hidratarmos, mas também para diminuir a temperatura corporal.

Assim, é essencial que você fique atento à temperatura da água na vasilha do seu animalzinho. O calor vai fazer com que ela esquente ao longo do dia, e é essencial que você a troque mais de uma vez nesse período. Uma boa dica é colocar umas pedrinhas de gelo para manter o frescor por mais tempo.

Regularidade do banho

É consenso veterinário que animais domesticados necessitam de banho. Com rotina e alimentação adaptadas às dinâmicas humanas, banho, tosa e cuidado com as unhas são essenciais para a saúde de nossos amigos peludos.

Durante o verão, essa atividade deve receber uma maior atenção. Isso porque, como dissemos no início do texto, é bem mais comum que infestações de pulgas e carrapatos apareçam nessa estação.

Além disso, o suor do corpo, que fica no pelo, combinado com a umidade, a sujeira e o calor, pode provocar o desenvolvimento de fungos e bactérias, tanto na pele, quanto no pelo dos animais. Por fim, um banho bem tomado vai refrescar o dia de seu pet.

Hora do passeio

Passeios são essenciais, especialmente, para cachorros que vivem em apartamentos. Mesmo alguns gatos sentem essa necessidade, sendo que, nesses casos, a adaptação à coleira é um processo um pouco diferente. De todo modo, essa atividade deve estar na rotina do seu pet.

Em dias muitos quentes, a temperatura externa é mais alta que a de sua casa, o que pode fazer de um passeio, que deveria ser divertido, um verdadeiro pesadelo. Assim, eles só devem acontecer na parte da manhã, até as 10h, e no fim da tarde, a partir das 17h, uma vez que estes são os horários com temperaturas mais amenas.

Também é importante que você verifique a temperatura da calçada e do chão, utilizando a sua mão. Asfalto e cimento são materiais que absorvem bastante calor e podem estar bem quentes, mesmo que a temperatura do ar esteja mais baixa.

A dica final sobre a hora do passeio é escolher um destino adequado. Parques com grama e árvores devem ser prioridade porque a temperatura é mais baixa, e o seu animal vai se sentir mais próximo da natureza, o que, por instinto, vai fazê-lo ter uma experiência mais agradável.

Água do aquário

Os pets não se resumem a cães e gatos. Muitas pessoas têm outros animais, e alguns cuidados já ditos valem para a maioria deles, principalmente, o controle da temperatura da água que será consumida. Contudo, um caso merece atenção especial: o aquário dos peixes.

Isso porque o aquário nada mais é que um tanque de água, e sua temperatura muda conforme o ambiente. Idealmente, todos os aquários devem ter um termômetro. Dependendo da espécie dos seus peixes, existe aquela ambiência indicada para cada um, algo que o veterinário poderá te informar.

Com o termômetro, fique sempre atento para que a temperatura seja a indicada. Alguns aquários mais caros têm mecanismos de compensação de calor, o que é o ideal. Outros, porém, são mais simples e serão mais afetados pela mudança de temperatura.

Nesses casos, uma dica muito simples é adicionar pedras de gelo na água, aos poucos, observando as mudanças do termômetro até que ele chegue na temperatura ideal. Aquários menores, que são facilmente movidos de local, podem ser colocados nos ambientes mais frescos da casa, que podem ter ar-condicionado ou ventilador.

Instagram